Rozineide Gonçalves

Tocantins vacina 95,11% do rebanho de bezerras contra brucelose

O Tocantins bateu um novo recorde de vacinação contra a brucelose no primeiro semestre deste ano, vacinando 95,11% das bezerras bovídeas (bovinas e bubalinas). Os dados divulgados pela Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec), na tarde de terça-feira, 26, são referentes ao período de janeiro a junho de 2016. Ao todo, foram vacinadas 503.204 bezerras bovinas e 518 bubalinas, entre três e oito meses de idade.

O presidente da Adapec, Humberto Camelo, comemorou o resultado destacando o trabalho de educação sanitária que a agência desenvolve com os produtores rurais. “O Governo do Estado, por meio da Adapec, tem intensificado um trabalho de conscientização com os produtores rurais para erradicação da brucelose em nosso Estado. Esses números demonstram o nosso compromisso com o controle da doença e um grande avanço no nível de conscientização dos agricultores,” disse.

A diretora de Defesa, Inspeção e Sanidade Animal da Adapec, Regina Barbosa, atribuiu também o resultado positivo da vacinação, ao trabalho conjunto realizado pelo órgão e as equipes de médicos veterinários e auxiliares de vacinadores cadastrados no Programa Estadual de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose (Pecebt). “Estes profissionais são fundamentais no processo de controle da zoonose, pois só eles podem realizar a vacinação dos animais,” frisou.

Segundo a responsável técnica pelo Pecebt, Carolina Silveira Ozorio Ribeiro, os produtores que deixaram de vacinar as bezerras com a vacina Cepa B19 serão autuados pela Adapec com multa no valor de R$ 5,32 por fêmea não vacinada e R$ 127,69 pela não declaração. “Além disso, a ficha cadastral ficará bloqueada até a apresentação da declaração de vacinação com a Cepa RB 51,” explicou.

Ainda de acordo com Carolina Silveira, para executar a vacinação com a RB 51 o produtor rural deve se dirigir ao escritório da agência onde faz a sua movimentação de rebanho e pegar uma autorização para a compra da vacina RB 51, para que o médico veterinário cadastrado no Pecebt possa emitir o receituário para aquisição da vacina. Por ser uma vacina de microorganismos vivos, tanto a B19 quanto a RB51 só deverão ser aplicadas por médicos veterinários e seus auxiliares cadastrados na Adapec.

OS NÚMEROS

O índice de 95,11% de vacinação contra brucelose neste primeiro semestre é 1,66% maior em comparação ao mesmo período de 2015, quando foram vacinadas 93,45% bezerras bovídeas.(fonte:ecos do tocantins)

TRF determina que Cachoeira e Cavendish voltem para a prisão

Por unanimidade, os três desembargadores da 1ª Turma Especializada do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2), no Rio de Janeiro, decidiram hoje (27) que o empreiteiro Fernando Cavendish, ex-dono da Construtora Delta, e o empresário Carlos Augusto de Almeida Ramos, conhecido como Carlinhos Cachoeira, retornem para a prisão. A decisão se estende aos empresários Adir Assad e Marcelo Abbud e para o ex-diretor da Delta, Cláudio Abreu.

Os cinco foram presos na Operação Saqueador, no dia 30 de junho, e levados para o presídio de segurança máxima Bangu 8, no Complexo de Gericinó, mas foram liberados para cumprir prisão domiciliar por decisão liminar do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Cavendish cumpre a medida em sua casa, no Leblon, na zona sul do Rio, e Cachoeira num hotelem Copacabana, também na zona sul. A Justiça tinha determinado que os dois e os outros três réus, que moram fora do Rio, permanecessem na cidade até que o julgamento do mérito pelo TRF2.

Cavendish, Cachoeira e mais 20 acusados são réus em ação que corre na 7ª Vara Federal Criminal do Rio. De acordo com o Ministério Público Federal, o grupo participava de um esquema que desviou R$ 370 milhões de obras feitas pela Delta Construtora para 18 empresas fantasmas que pertenciam a Assad e a Marcelo Abbud, em São Paulo, e também a Carlinhos Cachoeira.

As investigações apontaram que, após repassados pela Delta a empresas de fachada, os valores eram sacados em dinheiro para impedir o rastreamento da propina entregue a agentes políticos.

MPF

De acordo com a procuradora regional da República Mônica de Ré, que representa o MPF no processo e fez a sustentação oral no julgamento de hoje, “é concreto o risco de reiteração das condutas delitivas praticadas por mais de uma década”, casos os acusados permanecessem fora da cadeia.

“O saque de milhões de reais em espécie possibilitou o pagamento de vantagens indevidas a agentes públicos e representa real ameaça à ordem pública”, disse. “É preciso que esses réus que desviaram tanto dinheiro público possam ser processados depois de terem saqueado os caixas do governo federal e do estado do Rio, que está em situação de penúria”, acrescentou.

No voto seguido pelos colegas, o relator do processo no TRF2, desembargador Abel Gomes, argumentou que “não cabe a prisão domiciliar por completa ausência de amparo legal”. O magistrado não acolheu a alegação da defesa de Fernando Cavendish de que ele teria direito à prisão domiciliar por ser responsável pelas duas filhas de 6 anos, cuja mãe morreu em acidente. Essa circunstância será objeto de análise oportunamente pelo juiz da primeira instância.

Mandados de prisão

Assim que o julgamento foi concluído, a diretoria da 1ª Turma do TRF2 encaminhou ofício comunicando a decisão à 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, a quem caberá expedir novos mandados de prisão para os acusados.(fonte:agência brasil)

Mulher que acusa ex de tortura relata ‘terror’ e diz que filha viu agressões

Segundo vítima, ele ainda tentou pôr cola em suas partes íntimas, em Goiás
Diarista diz que já foi agredida com espinho de pequi; suspeito nega crime

A ex-mulher do homem preso suspeito de tortura-lá e até de tentar pôr cola instantânea em suas partes íntimas disse que temeu pela própria vida durante as agressões. Ainda com marcas pelo corpo mesmo 12 dias após o fato, a diarista de 31 anos, que prefere não se identificar, disse que o homem, de 37, agiu por “pura crueldade” e só cessou o ataque quando a filha do casal, de 4 anos, acordou e presenciou a situação. O caso ocorreu em Guapó, Região Metropolitana de Goiânia.Preso nesta quarta-feira (27), o pedreiro negou as acusações.

“Ele quase me matou. Foi uma cena de terror. Me deu socos, tentou me sufocar com refrigerante e me enforcar com as mãos e com uma corda, além de tentar colar minhas partes íntimas. Só quando minha filha, que ele não maltrata, acordou e viu, foi que ele parou. Ele não queria só me matar, também queria me fazer sofrer”, disse ao G1.

O caso ocorreu no último dia 15 de julho. No entanto, ela diz que já havia sido vítima da violência do ex-marido por várias outras vezes. Escondida na casa de um amigo, a diarista revela que o suspeito chegava a inventar formas diferentes de agredi-la.

“Uma vez ele pegou um caroço de pequi e deixou secar no sol para que os espinhos saíssem. Depois pegou e passou nas minhas pernas e na minha barriga para me machucar. Ele é frio e tinha muito ciúme. Já tinha denunciado as outras vezes e denunciei de novo. Fiz minha parte e agora espero que a Justiça faça a dela”, afirma.

Mesmo passadas quase duas semanas, a mulher ainda esta com olho direito bastante vermelho e com um hematoma logo abaixo dele. Ela afirma que lacrimeja sangue em alguns momentos. Já no pescoço, braços e costas há cicatrizes das agressões.

Além da garota – única filha do casal -, a mulher tem outros dois filhos, de 10 e 6 anos, de um relacionamento anterior. Ela revela que algumas vezes apanhou calada para não acordar as crianças, que moram com ela.

“Já apanhei em silêncio para que meus filhos não ouvissem. Ele sempre me batia a noite. Eu ficava caladinha, pois tinha vergonha. Agora, com ele preso, espero viver em paz com meus filhos e reaproximar da minha família”, afirma.

Pijama com cola
No dia seguinte ao crime, a mulher procurou a delegacia para registrar a ocorrência. Segundo o delegado Arthur Fleury, responsável pelo caso, o pijama que ela utilizava foi recolhido e pode ser usado como prova do crime.

“É possível ver a cola seca no tecido. Isso é uma prova cabal do crime. Ela disse que a substância caiu nas partes íntimas dela, mas ela conseguir arrancar a roupa e retirar, não provocando grande lesão”, afirma Fleury.

Mulher que acusa ex de tortura relata 'terror' e diz que filha viu agressões em Goiás (Foto: Sílvio Túlio/G1)
Delegado diz que pijama com cola é ‘prova cabal do crime’ (Foto: Sílvio Túlio/G1)

A peça será encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML) para ser periciada. A mulher já passou por exames no local.

Depois do crime, o suspeito fugiu. Porém, no último dia 25, segundo a polícia, ele foi até a casa de uma amiga da ex, onde ela estava escondida, e tentou invadir a residência.

No entanto, ele não conseguiu fugiu novamente. Após ser monitorado pela polícia, o homem foi preso em flagrante por ameaça e invasão de domicílio. Ele vai responder ainda por tortura. Somadas, as penas podem chegar a 9 anos.

Na delegacia, o homem alegou que é inocente e que disse que apenas se defendeu. “Ela saiu correndo atrás de mim pela rua e tentou me agredir com uma faca. Eu só a empurrei e ela caiu com a cara no chão, o que provocou os machucados”, alegou.

Mulher que acusa ex de tortura relata 'terror' e diz que filha viu agressões em Goiás (Foto: Sílvio Túlio/G1)
Preso, suspeito negou o crime e alegou que apenas se defendeu da ex (Foto: Sílvio Túlio/G1)

Fonte:g1/go

PF prende mais de 10 em operação contra desvio de recursos públicos

Entre os presos estão o prefeito de Goiatins (TO) e a mulher dele
Suspeitos integravam uma organização criminosa no Tocantins

A Polícia Federal já cumpriu pelo menos 11 mandados de prisão durante a Operação Bagration, nesta quarta-feira (27), em Goiatins e outras cidades do norte do Tocantins. Os envolvidos são suspeitos de integrarem uma organização criminosa que atuava no desvio de recursos públicos. Segundo a PF, a suspeita é que os prejuízos causados aos cofres da União sejam de aproximadamente R$ 10 milhões.

Prefeito de Goaitins e esposa foram presos durante operação da PF (Foto: Reprodução/Facebook)
Prefeito de Goaitins e esposa foram presos durante operação da PF (Foto: Reprodução/Facebook)

De acordo com informações da PF, foram 13 mandados de prisão, sendo nove preventivas e quatro temporárias. Entre os que tiveram a prisão preventiva decretada estão  o prefeito de Goiatins, Vinícius Donnover Gomes (PSC), e a mulher dele, Sandra Suely da Silva, responsável por controlar as verbas da Saúde no município.

Outras pessoas que tiveram pedidos de prisão preventiva participavam da administração pública em Goiatins. Eles são:

– Heliene da Cruz Campos Luz (secretária de Finanças, além de operadora financeira do esquema criminoso, ela tinha acesso a todas as contas da prefeitura);

– Edigar Luz da Cruz (secretário de Saúde, era um dos principais auxiliares do esquema);

–  Diógenes Lima Filgueiras (servidor público, assessor direto do prefeito e agiria como “laranja”);

– Orleans Lima Filgueiras (secretário de Meio Ambiente, assessor direto do prefeito e agiria como “laranja”);

– Diana da Cruz Campos Ferreira (vereadora e Oficial de Justiça, acobertava e atrapalhava o processo do prefeito na Justiça);

– Livio Brito Brandão (pregoeiro, responsável pelas licitações da prefeitura);

– Wallas Ferreira de Jesus (caseiro do prefeito, a fazenda do político estava no nome do empregado e o trabalhador também seria dono de uma empreiteria, por isso também é apontado como “laranja”).

Prisões temporárias
Tiveram as prisões temporárias decretadas o contador da Prefeitura de Goiatins, Carlos Regino Rodrigues Correia. Ele também era contador da empreiteira que está no nome do caseiro; o ex-secretário de Controle Interno, Leonardo Martins da Silva, era braço direito do prefeito e é apontado como coautor das fraudes do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb); o secretário de Recursos Humanos, Romerito Lemes Teixeira, que fazia falsificação físcal dos contracheques e o ex-contador da prefeitura, Wanderson José Lopes Ferreira,  que teria arquitetado o esquema criminoso.

Defesa
De acordo com Sérgio Ferradoza, advogado do prefeito Vinícius Donnover Gomes, o suspeito vem atestando em depoimento de que os fatos não são verdadeiros e correspondem a atos da administração anterior. Outros foram praticados por terceiros sem a ciência ou autorização dele. No decorrer do processo tudo será esclarecido.

O G1 tentou contatar os responsáveis pela defesa das outras pessoas que tiveram mandados de prisão expedidos pela Justiça, mas até a publicação desta reportagem, às 17h37, desta quarta-feira (27), não obteve sucesso.

Entenda
A PF informou que 110 agentes participaram de operação para cumprir 60 mandados judiciais no Tocantins e no Maranhão. Foram nove  prisões preventivas, quatro prisões temporárias, 17 mandados de busca e apreensão, 28 de condução coercitiva, 12 de arresto de bens imóveis e bloqueio de ativos e seis de sequestro de gado [retenção de algo, por ordem judicial, quando houver dúvida sobre a origem desse bem], em Goiatins, Araguaína, Guaraí, Itacajá, Palmas e Carolina (MA), no povoado de Helenópolis.(fonte:g1/to)

Suspeitos da chacina que matou cinco são parentes das vítimas

A Polícia Civil já tem pistas dos autores da chacina que terminou com a morte de cinco pessoas, entre elas uma criança e deixou outras duas feridas na BR-153 próximo à Wanderlândia. O crime teria sido motivado por vingança entre pessoas de uma mesma família de ciganos.

Os mortos são da mesma família e foram identificados como: Alan da Silva (30 anos), que estava dirigindo o veículo interceptado; Sidiney Pereira dos Santos (78 anos); Weslley Alves da Silva (25 anos); Deuzenir Alves da Silva (60 anos) e um menino de 5 anos que foi lançado para fora do carro.

Em entrevista ao Portal O Norte, a delegada Simone Melo, respondendo pela Comarca de Wanderlândia, disse que o carro e os suspeitos das execuções já foram identificados. A polícia intensifica as investigações.

O crime

O carro das vítimas viajava com sete pessoas dentro, sentido Imperatriz-MA, quando foi seguido pelos assassinos que atiraram várias vezes contra o veículo. Segundo testemunha, o motorista Alan da Silva, conhecido como Kaká, foi baleado e perdeu controle da direção, o que provocou o capotamento.

Logo após o acidente, os criminosos se aproximaram do carro e efetuaram mais disparos contra os ocupantes do veículo. Uma mulher e uma criança sobreviveram à chacina. Liliane da Silva contou que para salvar a sua vida e a de seu filho Enzo Henrique, ela se fingiu de morta e tapou a boca da criança de apenas dois anos.

Liliane foi atingida com um tiro na perna e o filho sofreu apenas ferimentos leves. Eles foram socorridos e encaminhados para o Hospital Regional de Araguaína (HRA).

Investigação

De acordo com a delegada Simone Melo que acompanha o caso, disse que a execução trata-se de uma rixa familiar e destacou que há dois anos o pai de Alan Silva teria sido assassinado pelos mesmos suspeitos: “desde então o rapaz vinha sendo ameaçado pelos primos e por isso vivia fugindo e não tinha moradia fixa”, disse.

Dentro do veículo foi encontrada uma pistola ponto 40, arma que é de uso exclusivo da polícia. A delegada acredita que a arma pertencia a Alan da Silva, “o que deve ser confirmado através de perícia”, informou a delegada.

Ainda de acordo com a delegada, os corpos já foram liberados do Instituto Médico Legal (IML) de Araguaína e encaminhados para a cidade de Alexânia-GO, onde devem ser sepultados e os sobreviventes já receberam alta do hospital.

As investigações seguem, mas até o fechamento desta matéria nenhum suspeito havia sido preso.(fonte:portal o norte)

Operação combate comércio clandestino em calçadas da Rua 44

Ação já teve 48 apreensões e não tem data para acabar

A região da Rua 44 é alvo da Operação Calçada Limpa, iniciada na última quarta-feira (20), com o objetivo de combater o comércio clandestino e desobstruir o passeio público.

De acordo com o secretário de Planejamento Urbano e Habitação, Sebastião Juruna, a ação, resultou até o momento, em 48 apreensões. “Essa operação não tem data para acabar. Precisamos desocupar as calçadas da 44 para os pedestres, mas somente nossos auditores fiscais não conseguiam manter a ordem no local, por isso, firmamos essa parceria outros órgãos para conter as ocupações”, afirma.

Juruna revela que na última semana a Seplanh fortaleceu a parceria com a GCM e cedeu dois carros para auxiliar no trabalho de fiscalização da 44 e arredores. ‘Vamos exigir o cumprimento rigoroso da lei. Isso significa que não vamos tolerar nenhum camelô na calçada, não podemos mais aceitar a permanência irregular dos ambulantes. A calçada é para o trânsito das pessoas, é o direito de ir e vir dos pedestres”, assegura Juruna.

Segundo o secretário, a pasta ofereceu opções para os ambulantes, como Feira da Madrugada ou vagas remanescentes da Feira Hippie, em diversas reuniões realizadas no Paço Municipal e visitas à Rua 44, mas não houve sucesso. “Recebemos essas pessoas na secretaria várias vezes, tentamos um acordo para que as calçadas fossem desocupadas. Fomos taxativos com eles: ‘ou vão para a Feira da Madrugada ou disputam as vagas remanescentes da Feira Hippie. Podemos até criar uma área, mas não podemos mais tolerar a permanência irregular”.

Aguinaldo Lima, auditor fiscal de posturas da pasta, revela que a maioria dos ambulantes já possuem atividades econômicas regularizadas. “A maioria já tem loja ou faz feira, mas aproveitam o horário e invadem o logradouro público para comercializar e formam uma feira clandestina”.

Aguinaldo explica que as mercadorias apreendidas são encaminhadas para o depósito e para retirada é necessário pagamento de multa. “Vamos agir e seremos firmes no cumprimento da lei”, garante o auditor fiscal de posturas.

A operação é realizada pela Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação (Seplanh), em parceria com a Guarda Civil Metropolitana (GCM), Polícia Militar de Goiás (PM-GO) e Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade (SMT).

As informações são da Prefeitura de Goiânia

Fonte:o popular

Jovem afirma que foi espancada por senador Telmário Mota

O suspeito de cometer o crime é um um dos homens mais poderosos de Roraima: o senador Telmário Mota (PDT), 58 anos

A estudante universitária Maria Aparecida Nery de Melo, 19 anos, registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil de Boa Vista (RR) no último dia do ano de 2015, contra o senador Telmário Mota.

O caso relatado pela jovem foi um espancamento com chutes e socos que a fez desmaiar. Segundo ela, o agressor era seu companheiro há cerca de três anos e meio e agora estava “sofrendo ameaças de morte”.

O suspeito de cometer o crime é um um dos homens mais poderosos de Roraima: o senador Telmário Mota (PDT), 58 anos.

A reportagem da Folha de S. Paulo informa que as agressões foram comprovadas e o caso ficou caracterizado como”violência contra a mulher”. O exame da vítima indicou “lesões na cabeça, boca, orelha esquerda, região dorsal, braço direito e joelho esquerdo”.

O senador nega que tenha agredido a vítima e mantido relacionamento amoroso. “Não teve negócio de agressão, não existe isso, em nenhum momento, até porque não tenho nada com ela”.

A estudante Maria contou à polícia que as agressões ocorreram após acesso de ciúmes do senador durante um encontro com a família de Maria. Segundo relato da vítima, o senador não teria gostado de cumprimentos dados a Maria por familiares e decidiu agredi-la.

Ainda segundo depoimento da vítima, o senador a teria chutado quatro vezes no chão e a empurrado contra a parede. Maria também disse que o parlamentar passou a lhe dar murros na cabeça, o que a teria feito desmaiar.

A vítima prestou queixa cinco dias após as agressões. No entanto, dois dias após o registro da ocorrência, Maria procurou a delegacia para tentar “retirar” a queixa. A delegada responsável pelo caso explicou que não seria possível a retirada, pois as denúncias de agressões contra a mulher são consideradas ações “incondicionadas”, ou seja, independem da vontade da vítima.

A publicação conta que o caso não parou por aí e, em 22 de janeiro, Maria destituiu por escrito o advogado que a acompanhou no registro da ocorrência, Thiago Santos.

O advogado diz que a cliente não explicou os motivos da sua decisão e afirmou: “Não tenho dúvida sobre os fatos narrados na primeira oportunidade que procuramos a polícia. Ela contou a verdade”.

A reportagem tentou contato com Maria mas ela não respondeu.

SENADOR

Telmário é senador e, por isso, detém foro privilegiado no Supremo Tribunal Federal e, portanto, a delegada encaminhou os autos à Procuradoria da República em Roraima. Em 31 de maio, o caso foi enviado ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que abriu um procedimento preliminar interno.

Ele nega que tenha agredido Maria Aparecida Nery de Melo e mantido relacionamento amoroso com ela.

“Não teve negócio de agressão, não existe isso, em nenhum momento, até porque não tenho nada com ela. [Não agredi] nem ela nem mulher nenhuma. Fui criado pela minha mãe. Agora, macho, não. Macho vou pra porrada mesmo. Desafio [provar], 58 anos e nunca houve [agressão a mulher]. Desafio. Inventaram essa onda toda, essa conversa”, afirmou o senador.

O senador de Roraima afirmou ainda que Maria é “uma velha conhecida”. Questionado se a jovem havia trabalhado para ele, Telmário disse que não de forma “direta”. “Ela trabalhava. Era militante do PDT. Mas não trabalhava direto para mim, não. Militava, com os jovens lá.”

O parlamentar ainda considera que seus “adversários” teriam tentado “usar” Maria. “Não tem nada, absolutamente nada contra mim em lugar nenhum”, disse.(fonte:notícias ao minuto)

Incêndio deixa BR-153 parcialmente interditada em Paraíso do Tocantins

Fumaça tomou conta da rodovia e dificultou a visibilidade dos motoristas
O fogo foi controlado pelo Corpo de Bombeiros após uma hora e meia

Um incêndio às margens da BR-153 deixou o trânsito parcialmente interditado próximo ao posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Paraíso do Tocantins, nesta terça-feira (26). De acordo com o Corpo de Bombeiros, o fogo começou por volta das 13h, a fumaça tomou conta da rodovia e dificultou a visibilidade dos motoristas.

Incêndio na BR-153 Paraíso do Tocantins (Foto: Tony Rêgo/Surgiu)
Incêndio foi controlado pelo Corpo de Bombeiros (Foto: Tony Rêgo/Surgiu)

A PRF informou que fez sinalizações na rodovia durante o trabalho do Corpo de Bombeiros. Quatro brigadistas e seis bombeiros trabalharam para apagar as chamas. O fogo foi controlado depois de uma hora e meia.

Os bombeiros informaram que o mato alto, às margens da rodovia, contribui para o aumento das ocorrências de incêndios.

Ranking de queimadas
O estado também apresentou um salto na quantidade de queimadas nas últimas semanas. No início de julho, o Tocantins registrava 2.397 focos de calor. Nesta quarta-feira (27), o número já saltou para 4.961, conforme monitoramento da Defesa Civil.

O estado ocupa a 2ª posição no ranking nacional de queimadas, perdendo apenas para o Mato grosso. A quantidade de incêndios florestais, inclusive, fez o governo do Tocantins decretar situação de emergência.

Incêndio na BR-153 Paraíso do Tocantins (Foto: Tony Rêgo/Surgiu)
Incêndio na BR-153 prejudicou a visibilidade dos motoristas (Foto: Tony Rêgo/Surgiu)

Fonte:g1/to

Moradores percorrem 40 km em busca de serviços bancários no Tocantins

Agência bancária em Alvorada foi alvo de criminosos em dezembro de 2015
Desde então, serviços como o saque estão indisponíveis aos usuários

Moradores de Alvorada, sul do Tocantins, precisam percorrer até 40 km em busca de serviços bancários em outras cidades, como Figueirópolis. É que a agência do Banco do Brasil foi alvo de criminosos em dezembro do ano passado, mas até hoje os moradores continuam sem alguns serviços, como a realização de saque.

Desde o assalto, os moradores estão sem sacar dinheiro na agência. “É muito ruim ter que deslocar para outra cidade, ou enfrentar as filas, tanto na casa lotérica, quanto nos correios”, lamentou o porteiro Sebastião Calios.

Uma das saídas é procurar a Casa Lotérica da cidade, mas os serviços também são limitados. “A Casa Lotérica é ruim porque quem é cliente do Banco do Brasil tem um limite de R$ 300 para saque e com a falta do banco, prejudica um pouco”, descartou o morador Leandro Tomás.

O último assalto na cidade foi em dezembro de 2015, mas foram registrados outros ataques em fevereiro de 2015, janeiro de 2015 e fevereiro de 2014.

O diretor do Sindicatos dos Bancários de Gurupi, Wilson de Castilho, disse que não há uma previsão de quando os serviços serão totalmente normalizados.

“É lamentável, mas as agências de Palmeirópolis, Peixe, Aliança do Tocantins, Formoso do Araguaia, Araguaçu e Alvorada, todas têm agências do Banco do Brasil e estão funcionando parcialmente porque não está tendo numerário disponível, nem dentro das agências, nem nos caixas automáticos”.(fonte:g1/to)

Seca avança, mas cisternas não chegam a todos

Dos 27 municípios do programa, apenas 11 estão com a instalação concluída; água da chuva já secou nos reservatórios

O programa Tocantins sem Sede, atualmente conhecido como Água para Todos, começou a ser executado no Estado ainda em junho de 2012, mas em mais um período de seca no Estado apenas 11 municípios dos 27 participantes estão com as cisternas totalmente instaladas, outros 13 seguem com a instalação e três ainda não tiveram o serviço iniciado. O programa visa beneficiar 11.050 famílias da zona rural através da captação de água das chuvas.

Em Ponte Alta do Bom Jesus, a 405 km da Capital, as instalações ainda não foram iniciadas (veja quadro). Segundo o prefeito, José Luciano Azevedo Carlos, a medida paliativa está sendo o caminhão-pipa. “Estamos sofrendo com a estiagem desde março. Estamos entregando água nas comunidades rurais e naqueles locais que não conseguimos abastecer com poço artesiano estamos entregando água com o caminhão”, afirmou.

Em Natividade, a 200 km de Palmas, o prefeito Albany Nunes Cerqueira disse que foi um progresso a instalação das cisternas, porém a água captada com as chuvas já foi utilizada. “Adiantou bem este ano, porém muitas cisternas foram instaladas no final do período de chuvas e como a seca aconteceu mais rápido a água que estava armazenada, na grande maioria, já foi utilizada”, afirmou.

Instalação

De acordo com o presidente da Agência Tocantinense de Saneamento (ATS), Éder Fernandes, a demora na instalação aconteceu em decorrência dos problemas de cadastro verificados pelo Tribunal de Contas da União (TCU). “Houve um apontamento do TCU de 435 cadastros em inconformidade. Todos foram notificados, julgados e entendemos que 380 cadastros não tinham perfil para receber o benefício”, explicou.

Segundo Fernandes, o remanejamento das cisternas foi necessário em Jaú, Silvanópolis, Novo Jardim, São Valério, Conceição do Tocantins e Porto Alegre e para isso foi preciso esperar autorização do Ministério da Integração Nacional. As cisternas foram redistribuídas para São Salvador, Monte do Carmo, Taguatinga, Taipas, Rio da Conceição Almas, Arraias e Chapada da Natividade.

“A previsão de conclusão em 23 cidades é para meados de setembro e as outras quatro cidades, onde a quantidade de cisternas é maior, Dianópolis, São Valério, Arraias e Paranã, até o final do ano”, concluiu.

Famílias

No novo levantamento, 11.439 famílias estão aptas, porém existem somente 11.050 cisternas, as demais ficarão no cadastro reserva para possível ampliação do programa, mas sem previsão de prazo.

A previsão inicial era de instalar 11.350 cisternas, porém algumas foram incendiadas em Taguatinga, a 447 km de Palmas. Para o programa foram disponibilizados R$ 75.142.678,00, sendo R$ 65.816.407,33 provenientes da União e R$ 6.885.286,87 do Estado.

Estado Cisternas
Estado Cisternas
Fonte:jornal do tocantins