Rozineide Gonçalves

AOCP vence licitação e vai realizar o concurso da PM; certame custará R$ 2 mi

Empresa que concorreu com outras três venceu o processo licitatório; a previsão é de mais 100 mil inscritos que concorrem para mais de 1000 vagas.

A empresa AOCP (Assessoria em Organização em Concursos Públicos LTDA) venceu a licitação pelo valor de R$ 2 milhões para a realização de concurso público da Polícia Militar do Tocantins para o provimento de 1.000 vagas para soldado e 40 vagas para CFO.

A Comissão Permanente de Licitação da Secretaria da Fazenda publicou no Diário Oficial do Estado desta segunda-feira, 4, o resultado da definição da empresa para a prestação do serviço.

Comandante da PM na época do anúncio do concurso público, coronel Glauber de Oliveira estimou a inscrição de mais de 100 mil candidatos no certame. O concurso será realizado no ano que vem. A previsão é de que as remunerações sejam a partir de R$ 4.056,67 para soldados e de R$ 7.631,84 para cadete.

Um prazo de cinco dias ainda deve correr para interposição de recursos, conforme a Lei 8.666/93. Caso interessados, as outras três empresas licitantes que concorreram podem apresentar suas contra razões em igual prazo, que começará a contar a partir do encerramento do prazo de razões.

t1noticias

Criminosos explodem caixa eletrônico dentro de bloco da UFT

Bloco I, onde ficam instalados os caixas eletrônicos, foi isolado até a chegada da perícia. Em agosto do ano passado, criminosos arrombaram dois caixas no mesmo local.

Criminosos explodiram um caixa eletrônico instalado no Bloco I da Universidade Federal do Tocantins. A informação é que o crime aconteceu na madrugada desta terça-feira (5), por volta das 4h30. O bloco foi isolado até a chegada da perícia.

Para ter acesso ao local, os homens fizeram um bucaco na parede. Depois, usaram dinamites para explodir o equipamento. Com a explosão, a porta do bloco teve os vidros quebrados.

Em agosto do ano passado, dois caixas eletrônicos foram alvos de criminosos dentro da UFT. Os equipamentos foram abertos com a ajuda de maçaricos. Funcionários relataram na época que há três caixas no local, sendo que apenas os dois que realizam serviço de saque foram abertos pelos criminosos.

 G1 Tocantins

Tempestade solar pode deixar a Terra na escuridão total

Fenômeno não pode ser previsto pelos meteorologistas, que só saberiam o que está por vir cerca de 15 minutos antes.

Uma tempestade solar pode causar escuridão total em nosso planeta, ocasionando o corte do fornecimento de eletricidade em todo o mundo. O fenômeno não pode ser previsto pelos meteorologistas, que só saberiam o que está por vir cerca de 15 minutos antes.

A meteorologista britânica Catherine Burnett informou ao jornal “The Daily Mirror” que as ejeções de massa coronal (EMC) do Sol podem viajar em qualquer direção e, caso tomem o rumo da Terra, poderiam envolver o nosso planeta completamente.

“Uma ejeção de massa coronal significativa demora 19 horas para chegar à Terra“, diz a especialista, acrescentando que “assim que víssemos uma ejeção a abandonar a estrela, saberíamos dela apenas 15 minutos antes da chegada ao nosso planeta, bem como os dados restantes sobre a direção magnética ou o seu impacto”.

Como explica a publicação, as tempestades espaciais podem ser inofensivas e, muitas vezes, são vistas da Terra na forma de uma aurora boreal. Contudo, se for de grande magnitude, poderia desligar todos os sistemas de energia e navegação.

Um grupo de investigadores da Universidade de Harvard divulgou em agosto deste ano um cálculo de quanto tempo resta na Terra até que uma erupção solar acabe com a humanidade: 750 anos. Espera-se que até lá os cientistas encontrem uma forma de proteger o nosso planeta.

Noticias ao Minuto

‘Eles vão ter que me engolir’, diz Lula num ato em Vitória

Ex-presidente iniciou nesta segunda-feira caravana pelo Espírito Santo e pelo Rio de Janeiro.

Dois dias após a divulgação de pesquisa Datafolha que o aponta na liderança da corrida presidencial em 2018, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chamou de bobagem a suposição de que pode não ser candidato na disputa.

“Como disse Zagallo, eles vão ter que me engolir”, disse, em referência a uma frase que ficou famosa na boca do ex-técnico da seleção Mário Jorge Lobo Zagallo.

Durante ato no centro de Vitória (ES), na noite desta segunda-feira (4), o petista afirmou: “Não fiquem com essa bobagem de que o Lula não será candidato, não. Vou ser candidato e vou ganhar as eleições”.

Um drone foi usado para detectar a ocorrência de manifestação antes que a comitiva chegasse ao ato.

Pouco antes de o petista assumir o microfone no ato, o presidente da CUT, Vagner Freitas, citou a pesquisa Datafolha para dizer que há uma tentativa de impedir a candidatura do ex-presidente. “Eleição sem Lula é golpe”, discursou.

Ao pé do palco, o coordenador das Caravanas de Lula e vice-presidente do PT, Marcio Macedo, disse que os números da pesquisa, somado às consultas encomendadas pelo partido, consolidam a candidatura do ex-presidente, algo irrevogável, segundo ele.

Em seu primeiro discurso após a divulgação da pesquisa, o ex-presidente também lembrou ter lançado, durante a disputa presidencial de 2002, uma carta aos brasileiros em uma tentativa de tranquilizar o mercado quanto a riscos de sobressalto na economia. E acrescentou: “Quero voltar a ser Lulinha paz e amor”.

Mais uma vez, Lula disse não depender do apoio do mercado, afirmando também que os empresários e banqueiros foram beneficiados em seu governo.

“O mercado vai precisar muito mais de mim do que eu deles”, disse.

Em seu discurso, Lula ironizou o desempenho do presidente Michel Temer nas pesquisas de opinião. Afirmou que o peemedebista terminará seu mandato, que disse ter conquistado via golpe, “devendo ao Datafolha e ao Ibope”.

Temer, de acordo com o Datafolha, é rejeitado por 71%, uma variação de dois pontos para baixo do registrado em setembro, dentro da margem de erro.

Sem citar o nome do prefeito de São Paulo,João Doria, Lula afirmou que o Brasil não está precisando de um gestor, “como se fosse uma oficina mecânica”, mas de alguém que entenda do país. Também afirmou que não tem vergonha de ser político, nem de seu partido.

CARAVANA

O discurso de Lula marcou a abertura de sua caravana pelos Estados do Espírito Santo e do Rio de Janeiro. De Vitória, Lula seguirá até Campos, Maricá, Nova Iguaçu e Rio, passando por Cariacica.

Manifestantes chegaram a levar um trio elétrico ao aeroporto onde Lula era esperando por apoiadores. Mas, em menor número, se retiraram logo depois. 

Noticias ao Minuto

Asfalto cede e engole metade de caminhão em quadra no centro de Palmas

Incidente ocorreu em rua da quadra 304 Sul. Funcionários da concessionária de água informaram que tubulação rompeu, mas problema foi consertado.

O asfalto do retorno de uma rua da quadra 308 Sul, na região central de Palmas, cedeu e engoliu parte de um caminhão na tarde desta segunda-feira (4). Um registro feito do local viralizou na web e os internautas brincaram sobre a qualidade da malha asfáltica na cidade.

“Isso que é um asfalto de qualidade. Uma terraplanagem de primeira”, comentou um internauta. “Eita, que asfalto maravilhoso é este gente [sic]. Merece muitos aplausos, né?”, brincou uma jovem.

O registro foi feito no início da tarde desta segunda-feira (4). O caminhão foi retirado e o motorista não foi encontrado no local para comentar como aconteceu o acidente.

Uma equipe da empresa BRK que estava no local contou que uma tubulação rompeu. Após fazer o conserto, os funcionários fecharam o buraco.

A Prefeitura de Palmas também foi questionada sobre o caso, mas ainda não respondeu.

Buraco foi fechado por empresa concessionária de água (Foto: Patrício Reis/G1)

G1 Tocantins

Turma do 5º ano (B) de escola municipal em Palmeirópolis vence a gincana do meio ambiente

Alunos realizaram gincana em defesa do Meio Ambiente.

A 1ª gincana do Meio Ambiente da Escola Municipal Elda Silva Barros, foi encerrada nesta sexta-feira (1º) e surpreendeu as lideranças pela quantidade de material reciclável recolhido durante a coleta.
Professora Rosirene Moreira fazendo a abertura do evento

A gincana foi realizada dentro do Projeto Piloto de Coleta Seletiva, feito pela prefeitura municipal, em parceria com secretaria de educação, Associação de Coletores de Materiais Recicláveis de Palmeirópolis e Região – ACOMP e Engie Brasil Energia.

O projeto teve início no mês de maio e finalizou nesse final de semana (1º) em Palmeirópolis. O projeto envolveu todos os alunos do 5º ano do ensino fundamental de Palmeirópolis e também de São Salvador e Paranã.

O desafio dos participantes era conseguir a maior quantidade de lixo seco, que posteriormente foi encaminhado a ACOMP, para beneficiamento e reaproveitamento.

Os materiais foram recolhidos ao longo de vários meses, e na manhã de sexta-feira aconteceu o evento para premiar a turma vencedora.

Quem ficou em 1º lugar foi o 5º ano (B) da escola Elda Silva, tendo como professora Adélia Barros. Enivaldo Rodrigues foi o pai que mais se envolveu no projeto, foi o maior motivador da coleta. Sua filha Sophia Silva, disse que o projeto foi importante para ela descobrir o tanto de lixo que as pessoas acumulam e jogam na natureza.Bruna P. dos Santos,Ana Caroline Silva, Sophia S. Rodrigues, Julia Machado, Anna Carolynne Constantino.

Ela e sua turma foi responsável por 90 por cento da coleta, por isso tiraram em primeiro lugar coletando cerca de 3.209 kg.Turma vencedora 5º ano B da professora Adélia Barros

O segundo lugar ficou com turma da professora Eliene, o 5º ano (A), 1085 kg, e em terceiro lugar 73 kg, professora Dirlene, 5º ano C.

A professora Adélia Barros abraçou a ideia e juntamente com a turma batalharam pela vitória.  Ela disse que todos nós somos reprodutores de lixo e aprendeu muito no decorrer do trabalho.Professora Adélia Barros, Sophia Silva e Adriano Diniz Baldissera.

A quantidade de material reciclável surpreendeu até mesmo os organizadores.

Além de papel e papelão, foram recolhidos outros materiais como plásticos e o alumínio. Todo material foi pesado e a turma vencedora ganhou brindes e a escola recebeu um conjunto de coletor seletivo de resíduo e uma mesa de ping pong.Professora Rosirene Moreira e Adriano Diniz

O projeto visou alertar os alunos e a comunidade sobre as graves consequências do descarte incorreto de lixo, provocar discussões que possam gerar, futuramente, ações que tragam benefícios para a coletividade na cidade de Palmeirópolis e região; e permitir que os alunos tenham vivência prática em sustentabilidade e protejam o meio ambiente.

Conscientizar as crianças para a importância da coleta seletiva e da reciclagem de materiais, a fim de evitar o grande volume de resíduos que vão parar nos aterros sanitários.

Prestigiando o evento o prefeito Fábio Vaz acompanhado da primeira dama Ana Paula, estiveram parabenizaram a todos pela iniciativa do projeto.O secretário de Meio Ambiente do município, Jean Carlos disse que viu uma semente sendo plantada em cada participante, ficou um grande conhecimento para a turma e suas famílias que vai gerar qualidade de vida.

Secretário do Meio Ambiente Jean Carlos e a Engenheira Florestal Jessica Thais Cangussu,

A coordenadora da escola Elda Silva Barros Rosirene, junto com sua equipe deu total apoio ao projeto. Na ação junto aos moradores, os estudantes do Elda conseguiram arrecadar mais de 4 mil quilos de materiais recicláveis. 

Aproximadamente (60) famílias em Palmeirópolis vivem da coleta de lixo reciclável. Quem quiser fazer parte deste projeto procure um ponto de entrega dos resíduos e ajude famílias. 

Além de pais, estiveram presentes os Engenheiros Agrônomos Josimar Costa Furlan e Adriano Diniz Baldissera, Marcelo Oliveira gerente de Usina na ENGIE Brasil Energia, Rosirene Moreira diretora do Elda Silva Barros, Jéssica Cangussu Engenheira Ambiental, Prefeito Fábio Vaz e primeira dama Ana Paula Vaz, secretário de Meio Ambiente do munícipio Jean Carlos Pereira, Lucimar Tavares representando a secretaria de educação, professores local e equipe da escola. D redação

Minaçu já sente efeitos da decisão do STF que proíbe o amianto no País

STF proíbe amianto no Brasil

O Supremo Tribunal Federal (STF) proibiu nesta quarta-feira a extração, industrialização, comercialização e distribuição de todos os tipos de amianto no país.

Com isso, encerra-se um longo debate jurídico sobre o material, comum em telhados do Brasil e cujos fragmentos podem liberar no ambiente elementos cancerígenos, facilmente inaláveis.

O prefeito de Minaçu está preocupado. “Eu trabalhei na fábrica de amianto por 16 anos. Moro aqui em Minaçu. E até hoje não tive nenhum problema. O Brasil diz que quer ajudar o povo com emprego e toma uma decisão dessa, que vai demitir tanta gente. Sem o dinheiro do amianto, Minaçu não tem recursos para fazer o hospital funcionar”, afirma Barbosa.

O prefeito da cidade Minaçú Goiás, Agenor Nick Barbosa (DEM), soube do resultado do julgamento pela reportagem da BBC Brasil. “Se a proibição acontecer mesmo, será a pior coisa para Minaçu. Aqui, 60% da arrecadação da Prefeitura vem do amianto. Vamos perder uma renda absurda, vai ser um acontecimento catastrófico. Somos uma cidade com 31 mil habitantes, aqui não tem agricultura, pecuária, nada. Vamos ter que começar do zero. Era preciso ter um período de transição, para o município se preparar”, lamentou.

Em tupi-guarani, açu significa grande. O nome da cidade de Minaçu vem a calhar, já que ali está a maior jazida de amianto da América Latina, em operação desde a década de 1960.

Toda a produção nacional tem origem no município e abastece fábricas brasileiras e também países como Índia, Indonésia e Colômbia. Só este ano, foram vendidas para o exterior 60 mil toneladas de amianto, por um valor de US$ 31 milhões.

Os ministros já haviam se posicionado contra os interesses da indústria do amianto em agosto, mas agora a decisão tem efeito vinculante. Ou seja, tribunais são orientados a seguir posição da Corte quando confrontados com questionamentos semelhantes.

“A utilização do amianto ofende postulados constitucionais e, por isso, não pode ser objeto de normas autorizativas”, declarou o ministro Celso de Mello, em referência aos artigos que protegem a saúde do cidadão e o meio ambiente.

“Foi um dia muito especial. Há tanto tempo nós esperamos por isso. Estou recebendo ligações de familiares de vítimas, confortados de que foi reconhecida a gravidade do amianto”, afirmou a ex-auditora do Ministério Público do Trabalho Fernanda Giannasi, que atuou em fiscalizações na indústria do amianto por 30 anos.

A decisão deixa Minaçu em situação delicada. Giannasi atribui a culpa a políticos locais e agentes ligados ao setor: “Eles nunca fizeram nada para que a cidade deixasse de girar em torno de um único ingrediente. O impacto vai ser grande, mas não por falta de aviso. Poderia ter havido um trabalho conjunto para que trabalhadores tivessem sido absorvidos por outras áreas.”

“Essa decisão vai ter impacto no mercado global, vai ser um efeito dominó. Se um país produtor, como o Brasil, é capaz de tomar uma decisão dessas, por que não seria seguido por aqueles países que só compram o amianto?”, questiona Giannasi.

“Não há a menor possibilidade de que uma lei estadual permitindo o amianto possa ser declarada constitucional. Se havia alguma dúvida no julgamento anterior, agora não há mais”, comenta Mauro Menezes, advogado da associação dos expostos ao amianto. “A proibição de utilização de qualquer forma de amianto, em qualquer lugar do Brasil, fica impregnada nos votos dos ministros”.

Já representantes da cadeia do amianto argumentaram que a decisão significaria a demissão de centenas de trabalhadores. Afirmavam também que interromper a mineração abruptamente, ao sabor da decisão judicial, não seria simples. O berço do amianto brasileiro é a pequena cidade de Minaçu, norte de Goiás.

O amianto é alvo de grande polêmica. Fibra mineral sedosa, é usado principalmente na fabricação de telhas e largamente empregado em residências populares. O setor do amianto calcula que metade das casas brasileiras tenham telhas de amianto. O país está entre os três maiores produtores do mundo.

Em agosto, poucos dias antes da retomada do julgamento, o Ministério Público do Trabalho (MPT) flagrou diversas telhas quebradas, envoltas em poeira, em uma fábrica da Bahia. Nelas, ainda era possível ler a inscrição obrigatória: “Contém amianto: ao cortar ou furar, não respire a poeira gerada, pois pode prejudicar gravemente a saúde”. A imagem, fotografada em 2 de agosto, é a prova de uma irregularidade, segundo o órgão.

Por um lado, organizações de saúde pública, como o Instituto Nacional de Câncer e a Fundação Oswaldo Cruz, propagam os riscos para a saúde em decorrência da exploração do amianto. Em 61 países, o uso do material já foi banido, justamente pela falta de segurança.

Já a cadeia do amianto afirma que a variedade produzida no Brasil oferece menos riscos e é trabalhada com alto padrão de segurança. O argumento é de que uma proibição à produção e comercialização traria sérios prejuízos.

“A decisão a ser tomada pelo STF terá enorme impacto sobre uma atividade que envolve 170 mil empregos, diretos e indiretos, em todo o território nacional”, afirmou em nota o Instituto Brasileiro do Crisotila, um dos subtipos de amianto, em agosto.

Gestora do Cadastro Único de Palmeirópolis adverte os beneficiários (BPC) do município a procurar com antecedência

Inscrição no Cadastro Único passa a ser obrigatória para beneficiários do BPC.

Os beneficiários do BPC (Benefício de Prestação Continuada) terão até dezembro de 2018 para atualizarem seus dados no Cadastro Único (CadÚnico).

O prazo, que era até dezembro de 2017, foi prorrogado por mais um ano pelo Ministério de Desenvolvimento Social e Agrário com o objetivo de as pessoas beneficiarias se adequarem as normas do auxílio, evitando seu bloqueio.Gestora do Cadastro Único de Palmeirópolis, Milena Viana.

Segundo informações da Gestora do Cadastro Único de Palmeirópolis, Milena Viana, o objetivo da atualização é identificar a realidade socioeconômica dos beneficiários e ao mesmo tempo permitir a identificação das demandas desse público para a inclusão nos serviços sócios assistenciais e de outras políticas públicas.

A gestora esclarece ainda que, as famílias devem procurar o Centro de Convivência e Fortalecimento de Vínculo, conhecido como (Centro do Idoso), para solicitar seu registro no CadÚnico e preencher o formulário que será encaminhado para que o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) avalie se o requerente tem perfil para fazer parte do benefício socioassistencial. “Não deixe para última hora”.

De acordo com a secretária de Assistência Social Ana Paula Vaz, umas das realidades é saber da situação financeira dos idosos. “Sabemos que o salário dos nossos idosos é pequeno, o dinheiro que recebem da mal para comprar remédios, só que o governo federal não conhece esta realidade. As vezes acontece de ter uma aposentaria e um (BPC) dentro de uma residência e isso conta como renda, deve fazer este cadastro para atualizar e não perder o benefício”, explicou Ana Paula.

Secretária de Assistência Social Ana Paula Vaz.

O alerta do Governo Federal é que a não regularização ocasionará a suspensão do benefício. Decreto visa aumentar o controle do Governo e facilitar gestão do Benefício de Prestação Continuada.

Em Palmeirópolis, atualmente são mais de 600 (seiscentos), pessoas que recebem o benefício, destes muitos ainda não fizeram a atualização. 

Documentos para cadastro:

CPF, RG, título de eleitor, comprovante de Benefício do INSS, Comprovante de endereço. Se tiver criança é necessário levar a certidão de nascimento e declaração escolar.  Também devem ser apresentados os documentos originais de todos os moradores da casa.

O BPC é um benefício constitucional previsto na Lei Orgânica da Assistência Social (Loas) e garante um salário mínimo mensal ao idoso acima de 65 anos, ou ao cidadão de qualquer faixa etária que possua uma deficiência que o impossibilite de participar de forma plena e efetiva na sociedade.

Para adquirir o benefício essas pessoas devem apresentar comprovação de renda familiar per capita inferior a ¼ do salário mínimo e estar registradas no CadÚnico, que é uma ferramenta de coleta de dados e informações e que visa identificar todas as famílias de baixa renda existentes no país, com intuito de incluí-las nos programas sociais do Governo Federal. 

A medida tem intuito de facilitar a gestão do benefício, dando um maior controle dos recursos e promovendo uma identificação, de forma mais precisa, sobre quem realmente necessita da assistência.

Da redação

 

Baile da terceira idade anima idosos de Palmeirópolis

Animação e forró tomou conta dos “jovens” da terceira idade de Palmeirópolis.

 

Ampliar a cada dia o atendimento aos idosos, dando condições de atividades e qualidade de vida é o principal objetivo da Prefeitura Municipal de Palmeirópolis, por intermédio da Secretaria Municipal de Assistência Social e CRAS – Centro de Referência em Assistência Social.

A coordenadora do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo, conhecido como (Centro do Idoso), Iraildes Gomes, destacou que os encontros com o grupo da terceira idade têm por objetivo compartilhar alegrias, afeto, amor, criar oportunidades para desenvolvimento de novas habilidades e competências. Trabalhar a autonomia e a independência, propiciando suporte emocional e motivado para esta etapa da vida.Coordenadora do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo, Iraildes Gomes.

“É uma alegria e um prazer estar aqui há anos e poder compartilhar este momento de muita alegria, dança, esporte e diversão com todos, é importante promover atividades sociais para as pessoas da terceira idade, principalmente o forró, pois eles adoram e podem sair da ociosidade”, conta a coordenadora Iraildes. Ela ainda elogiou toda equipe que trabalha em prol da realização dos eventos.

Ela se emocionou ao falar dos idosos falecidos que passaram pelo Centro de Convivência. Disse que “cria um vínculo afetivo, uma família, difícil não se emocionar”.

Para a coordenadora Iraildes Gomes, sem dúvida, o baile é o que eles mais gostam e ressalta. “Estamos terminando o ano proporcionando muita festa e alegria para nossos queridos idosos, fizemos muitas atividades recreativas este ano, mas o baile é a preferência de quase todos, vamos continuar durante todas as férias, aqui não vai fechar”.

“Em busca de saúde e diversão”. Foi essa a temática do encontro desta quarta-feira, uma confraternização a todos que participam do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) de Palmeirópolis.Animação tomou conta do Baile, com casais dançando forró coladinhos, ou, até mesmo, mulheres com mulheres no salão. Não importava se tinha ou não alguém para tirar para dançar. Animados, a vontade de confraternizar era o que mais importava para os convidados. O forró alegrou e levou todos ao arrasta-pé.

Seu Francisco Regis (Chiquinho), “um dançarino de primeira”, só parou rapidinho para a entrevista, mas logo voltou animadíssimo para o salão. Ele disse que não perde uma festança, que faz parte do grupo da melhor idade e que participa das festas e todos os encontros. “Onde tem festa eu vou, gosto mesmo é de dançar e me divertir, e este forró aqui está bom demais, vou dançar até terminar”, disse ele, animado.Dona Maria Gomes Barros, com seus bens conservados 73 anos, participa há cinco anos e disse que as atividades renovaram sua vida. “Descobri que fazer as atividades aqui é uma terapia, a hidroginástica é o que eu mais gosto. Fazemos amizades, conversamos, revemos os amigos, que as vezes morando na mesma cidade dificilmente a gente vê, aqui encontramos e batemos um papo. a Paula trata bem, abraça, é carinhosa, hoje me sinto mais feliz”, ressaltou Maria.

Dona Maria Gomes Barros

O casal Ermínia Alves Telles e Marcelino Pereira Telles, frequentadores do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo, disse participar de todas as atividades e que o baile é a preferência do casal, principalmente este, onde eles podem dançar coladinhos o forró. “A festa está linda, a música está ótima, viemos preparados para dançar até o final”, disse dona Ermínia sorrindo.

Dona Ermínia Telles e seu esposo, Marcelino Pereira.

A primeira Dama, Assistente Social Ana Paula Vaz, foi muito elogiada tanto pela equipe, como pelos os idosos. Ela não pôde estar presente no baile por estar viajando a Palmas, mas ressaltou que logo será construído o barracão, aberto, (para ventilar), com palco, um espaço para outros divertimentos, tudo se ajustando para atender melhor cada um.A coordenadora Iraildes Gomes é pioneira no trabalho em Palmeirópolis, desde que fundou o Serviço de Convivência em 2002 ela é coordenadora, se mudou, mas logo retornou a função. De lá para cá tem notado o crescimento do número de pessoas cadastradas. Hoje aproximadamente 182 pessoas são atendidas no local.

Depois de um delicioso jantar a música ficou por conta de Dudu do Forró e banda  que abrilhantou e fez a galera dançar até meia noite.

Veja mais fotos

Da redação

A convite do Sebrae o prefeito de Palmeirópolis participa do VIII Fomenta

Fomenta Nacional aproxima gestores públicos das pequenas empresas.

O prefeito de Palmeirópolis Fábio Vaz foi convidado a participar do VIII Fomenta Nacional – oportunidades para os pequenos negócios nas compras governamentais, que foi realizado em Brasília-DF, esta semana, nos dias 28 e 29 de novembro.

Presidente do Sebrae Tocantins Pedro Ferreira, prefeito de Palmeirópolis Fábio Vaz, prefeito de Santa Rosa Ailton Araújo.

Fábio Vaz e mais cinco (5) gestores foram convidados pelo Sebrae a representar o Tocantins no evento.

O Fomenta Nacional é realizado para aproximar os setores público e privado e fortalecer a participação dos pequenos negócios no universo das compras públicas.

A programação foi composta de palestras, painéis, oficinas, seminários temáticos e internacionais, apresentações de casos de sucesso, além do encontro de oportunidades realizado entre pequenos negócios fornecedores e gestores públicos.

O prefeito Fábio Vaz é considerado uns dos melhores gestores do Brasil e já concorreu a final do prêmio Sebrae de empreendedorismo no Tocantins. “Fiquei muito feliz com este convite do SEBRAE e com muito prazer participei deste evento que é um incentivo para os pequenos negócios e uma oportunidade para nós gestores nos aprimorarmos e trocarmos experiência” destacou Fábio Vaz.

O encontro teve a participação de 18 Estados da Federação, com empresários de pequenos negócios, gestores públicos, lideranças empresariais e presidentes de comissões de licitações. A realização é uma parceria entre o SEBRAE, o Governo do Distrito Federal e o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão.

Além do prefeito de Palmeirópolis, participaram do VIII encontro de Oportunidades para Micro e Pequenas Empresas nas Compras nas Compras Governamentais-Fomenta os consultores do Sebrae Tocantins, os prefeitos de Colinas, Araguatins, Santa Rosa, Almas, Fátima e Palmeirante.

O evento teve objetivo de promover a participação dos pequenos negócios no fornecimento para a administração pública.

No Tocantins existem 85 mil pequenos negócios, os quais atuam como propulsores da economia e do desenvolvimento estadual. Mesmo sendo numeroso, o contingente de pequenos negócios que atuam como fornecedores do governo ainda é pequeno.

“Além de contatos e identificação de novas oportunidades de negócios, o Fomenta possibilitou a disseminação de regras e procedimentos técnicos para acesso a mercados de compras governamentais. Também esperamos sensibilizar gestores públicos e compradores sobre a importância da participação dos pequenos negócios nas aquisições públicas e criar um ambiente favorável para troca de informações e interação entre compradores e potenciais fornecedores do governo”, explicou o analista técnico do Sebrae Alex Veras.

Diante de 1.600 pessoas, entre empresários e gestores públicos, o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, convocou gestores públicos e tribunais de contas para fazer valer a Lei Geral, que determina tratamento diferenciado às micro e pequenas empresas nas compras governamentais. O discurso de sensibilização ocorreu nesta terça-feira, durante a abertura do VIII Fomenta Nacional, em Brasília.

São parceiros do Sebrae na realização do evento o Ministério de Planejamento, Desenvolvimento e Gestão e a Secretaria da Micro e Pequena Empresa (SEMPE) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio. 

Da redação