Estado diz que não há condições realizar alteração na data-base.
Em setembro o governo havia feito uma proposta, mas foi rejeitada.

Após 77 dias de greve, o Governo do Tocantins enviou nesta segunda-feira (24) um ofício ao Movimento de União dos Servidores Públicos Civis e Militares do Estado do Tocantins (Musme), em que informa que não há condições legais e financeiras para realizar a alteração na data-base. Com isso, o governo encerra as negociações com os movimentos sindicais.

O governo pede que considerem a proposta apresentada e encerrem o movimento grevista, retornando as atividades e restabelecimento o pleno funcionamento dos serviços públicos no Estado.

Em setembro o governo havia feito uma proposta ao movimento sindicalista para pagar a data-base de 2016 em três parcelas próximo ano. Além de reduzir a jornada de trabalho para 6h corridas por dia, a partir de outubro. A paralisação dos servidores começou em agosto.

Duas parcelas de 2% seriam pagas em janeiro e maio. A última, de 5,83% seria implementada em outubro. Ainda conforme o governo, os passivos da data-base de 2015 serão pagos no exercício de 2017. Porém, um dia depois, o movimento rejeitou a proposta feita pelo governo, mantendo a greve. Nesta segunda-feira através de ofício o governador encerrou as negociações, se posicionando como não tendo condições legais e financeiras para negociar.

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Tocantins (Sisepe-TO), Cleiton Pinheiro, informa que a greve vai permanecer. “Vamos procurar o governo para explicar essa proposta que não ficou clara. A proposta é a mesma feita em setembro, quando nós rejeitamos”, afirma.(fonte:g1/to)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here