Eles tinham esquema para ganhar da revenda do aparelho, diz PM
Crime foi descoberto após um dos envolvidos tentar fugir de abordagem

Dois jovens, de 23 e 26 anos, foram presos em um prédio do Parque Oeste Industrial, em Goiânia, com 101 smartphones roubados. De acordo com a Polícia Militar, eles também são suspeitos de promover um esquema de receptação e fraudes com as fabricantes dos aparelhos. Para isso, eles usavam uma máquina que queimava as placas dos celulares, impossibilitando a identificação original. Depois, a dupla enviava a peça para a empresa – que fazia a substituição – e revendia os telefones a preços maiores.

Os suspeitos foram flagrados por uma equipe das Rondas Ostensivas Metropolitanas (Rotam) na porta do edifício. Os policiais tentaram abordá-los, mas eles correram e entraram no imóvel. Os agentes foram até o local e, durante a revista, a dupla apresentou documentos de identificação falsos. Foi quando os PMs localizaram os telefones.

De acordo com o tenente Eduardo Abílio Borges Alves, o esquema era bastante organizado. “Além de comprar aparelhos roubados, eles também adquiriam smartphones com defeitos. Eles queimavam a placa do telefone subtraído e apagavam o serial. Depois mandavam os dois com defeito e recebiam ambos consertados”, disse ao G1.

No apartamento, os policiais também encontraram a máquina que era usada para queimar as placas dos aparelhos. A suspeita é que eles pegavam os aparelhos roubados em Brasília e, depois que a reposição das placas era feita, eles eram vendidos em Goiânia por até R$ 2,5 mil.

Os dois homens foram presos e encaminhados para a Central de Flagrantes. Segundo a polícia, o rapaz de 23 anos já tinha passagens por estelionato. Já o outro nunca tinha sido preso.(fonte:g1/go)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here