Sesau está analisando procedimentos feitos nos últimos 45 dias.
Produtos vencidos utilizados podem representar risco à saúde, diz secretaria

Os pacientes que fizeram cirurgias do coração no Hospital Geral de Palmas (HGP) nos últimos 45 dias serão convocados para voltar ao local. Isso porque a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau)verificou que materiais vencidos foram usados em procedimentos e podem representar riscos à saúde dos pacientes. Além disso, todos as cirurgias cardíacas foram suspensos temporariamente.

Entre os materiais vencidos estão cateteres e marcapassos. Outros produtos fornecidos pela empresa Cardiomed não serão mais usados pelos hospitais do Estado. “Interditamos alguns itens, os quais nós estamos como depositários para que seja feita a análise e perícia destes itens”, disse a diretora do HGP Renata Duran.

Os materiais eram usados em pacientes que faziam exames e procedimentos como angioplastias, cateterismos e implantes de marcapassos. Segundo a Secretaria, a empresa fornecia produtos vencidos e adulterava as etiquetas colocando outras datas de validade.

A denúncia também já está sendo investigada pelo Ministério Público Federal (MPF).

“A gente percebeu a urgência porque aqueles produtos poderiam continuar sendo usados e colocando em risco a vida deles”, disse a procuradora Luana Vargas Macedo.

Com os procedimentos suspensos, o Estado pretende contratar outras empresas para realizar procedimentos. “Em casos emergenciais nós estamos contando as unidades privadas do estado para que nos cedam os materiais ou façam os procedimentos”, disse secretário da saúde Marcos Muzafir.

Contrato
A Cardiomed foi contada por R$ 3.180.956.96. O contrato entrou em vigor em abril do ano passado. Nessa quinta-feira (5), dois sócios da empresa foram presos em flagrante. Um dos sócios foi preso em Palmas, e o outro em Araguaína, onde fica a sede da empresa. Eles vão responder pelos crimes de fraude de contrato público e alteração de produtos destinados a fins terapêuticos ou medicinais.

Sesau
Em nota, a Sesau disse que não há qualquer registro de paciente que tenha tido qualquer problema após passar pelo procedimento no HGP.

“A secretaria informa ainda que está empreendendo todos os esforços para repor os materiais no prazo mais curto possível. Já foi solicitada, inclusive, a doação de materiais por parte de outras unidades hospitalares para dar continuidade às cirurgias.”(fonte:g1/to)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here