População não deve abrir e manusear as sementes, alerta Adapec.

Um novo caso de recebimento de sementes misteriosas sem a solicitação foi registrado no Tocantins na quarta-feira (7), segundo a Agência de Defesa Agropecuária (Adapec).

Desta vez, o fato ocorreu em Palmas. Outro caso semelhante já havia ocorrido em Araguaína na semana passada.

No caso recente de Palmas, o diretor de defesa, sanidade e inspeção vegetal da Adapec, Alex Arruda, disse que a denúncia chegou até agência por telefone após a pessoa ter visto informações na imprensa.

“Ela [a pessoa] narrou que havia comprado uma mochila da China em 2019 e resolveu dar uma checada, foi aí que constatou que o saquinho que ela pensou ser de sílica usada para absorver a umidade, era de sementes. Recolhemos o material e daremos seguimento aos procedimentos oficiais”, disse

O material recolhido em Araguaína e Palmas, segundo a Adapec, será encaminhado para o laboratório oficial do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Os pacotes de sementes suspeitos podem trazer pragas para a agricultura, como plantas daninhas, fungos, além de outras doenças como bactérias e vírus.

A Agência de Defesa Agropecuária disse que o alerta continua para que a população fique atenta e comunique imediatamente caso receba esses pacotes.

Orientações

Os pacotes recebidos devem ser encaminhados à Adapec ou informados pelo telefone 0800 63 11 22, de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h, para que a instituição faça o recolhimento da embalagem. A Superintendência Federal da Agricultura-SFA/TO também está disponível.

A população não deve abrir, manusear, plantar e nem jogar lixo (para evitar uma possível germinação).

O que se sabe até o momento

No dia 6 de outubro, a Secretaria de Defesa Agropecuária do Mapa informou que foram encontrados fungos, bactérias e possibilidade de pragas quarentenárias (que não existem no Brasil) em pacotes de sementes não solicitados que chegaram ao país e foram encaminhados ao Ministério.

Segundo o Mapa, após análises laboratoriais, foi identificada a presença de ácaro vivo em uma amostra; de três fungos diferentes em 25 amostras; de bactéria em duas amostras; e possibilidade de pragas quarentenárias em quatro amostras (como plantas daninhas).

Toda a análise é feita no Laboratório Federal de Defesa Agropecuária em Goiás, que é referência no país. Até o dia 6 de outubro, foram confirmados 258 pacotes de sementes não solicitados em 24 estados e no Distrito Federal. A expectativa é que em 30 dias haja um detalhamento maior desses resultados.

AF Notícias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here