Núbio Brito / Governo do TocantinsDSC_4619

Uma equipe com Biólogo, Engenheiro Civil e Técnico em Saneamento da Agência Tocantinense de Regulação e Fiscalização (ATR) iniciou, em fevereiro, a vistoria da qualidade da água ofertada nas 47 cidades operadas pela Odebrecht Ambiental/Saneatins. Palmas já foi recebeu a fiscalização.

O trabalho tem por objetivo verificar a qualidade da água fornecida à população. Atendendo aos parâmetros de potabilidade, exigido pelo Ministério da Saúde. São realizadas análises do Ph, cor, turbidez e cloro residual.

Na tarde desta sexta-feira, 18 a equipe da ATR esteve em Paraiso do Tocantins. Entre os pontos verificados, foi constatada alteração no nível de cloro da água ofertada à Escola Estadual Juscelino Kubistchek de Oliveira. “A pressão da água apontou 35mca, sendo que o mínimo é 10mca e o máximo 50mca, portanto excelente, já o nível de cloro estava bem abaixo do permitido, a análise apontou, 0,07 miligramas por litro, sendo que o mínimo é 0,20 miligramas por litro”, destacou a bióloga da ATR, Izabela Raposo.

DSC_4599A coordenadora pedagógica da Escola Estadual Juscelino Kubistchek de Oliveira de Paraiso do Tocantins acompanhou de perto todo o trabalho de inspeção da água ofertada à escola, feito pela equipe da Agência de Regulação. Ela reagiu com preocupação ao saber que a água ofertada à escola está com baixo teor de cloro. “Estou muito preocupada, afinal é a água que bebemos que fazemos a merenda das crianças, eu espero que tenhamos um retorno da Saneatins/Odebrecht para ver como vai ficar essa situação”.

De acordo com o presidente da Agência de Regulação, Jota Patrocínio é fundamental a fiscalização da qualidade da água que a população tocantinense está recebendo em suas residências, escolas, hospitais e empresas. “Vamos incrementar, ainda mais, esse trabalho de fiscalização, e qualquer alteração encontrada a concessionária será notificada para que tome as providencias necessárias para sanar o problema detectado”, ressaltou.

A Odebrecht Ambiental | Saneatins esclareceu, em nota, que, em função de um vazamento em uma tubulação deDSC_4598grande porte (adutora), um dos reservatórios que distribui água tratada para a área onde está localizada a Escola Estadual Juscelino Kubitschek de Oliveira teve seu nível de cloro alterado. No último sábado, o vazamento foi retirado e o problema resolvido. Durante todo o final de semana a empresa informou que manteve monitoramento de qualidade que atestou o atendimento dos níveis exigidos pelo Ministério da Saúde.

Núbio Brito
Gerente de Comunicação
nubiobrito@secom.to.gov.br
(63) 9972-3819 / (63) 8480-0275

Secretaria da Comunicação Social
http://http://secom.to.gov.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here