Moradores da região e policial que atendeu à ocorrência também contaram surpresa ao ver vítima. Polícia Civil segue investigação e aguarda resultado de laudo que apontará causa da morte.

A catadora de material reciclável Sirlene Volpato foi quem encontrou o corpo de um bebê dentro de uma bolsa térmicano setor Sudoeste, em Goiânia, e contou como ficou abalada com a cena. A mulher disse que, passando pelo local, ela viu a mochila junto a várias sacolas de lixo, abriu o zíper para ver o que tinha dentro e foi quando se deparou com o corpo. A Polícia Civil investiga o caso e aguarda finalização do laudo da perícia, que deve apontar as causas da morte da vítima.

“Eu ia descendo com a bicicleta […] quando chegou nesse ponto avistei uma bolsa fechada. […] Não acredito que a mãe tem capacidade de fazer uma coisa dessas ou se realmente morreu e ela não teve capacidade para enterrar. Não devia ter feito isso. Peço a vocês que me perdoem, mas eu estou muito magoada”, contou em entrevista à TV Anhanguera.

O soldado da Polícia Militar Norton Junior foi quem atendeu ao chamado da ocorrência, na segunda-feira (17), e contou que se sentiu mal com a cena. “Ver uma criança dentro de uma mochila com zíper e em estado de decomposição é complicado. Realmente mexe com qualquer pessoa”, declarou.

Investigação

O delegado Dannilo Proto, que investiga o caso, contou que equipes da Polícia Civil continuam levantando informações na região para descobrir quem teria deixado o corpo no local. Um vídeo que mostra uma mulher com uma criança de colo andando com uma sacola e, momentos depois, já sem a objeto, também está sendo analisado (assista acima).

“Ainda não sabemos se a autora é a mulher que aparece no vídeo. Estamos levantando informações para saber quem deixou o corpo lá e se houve aborto, infanticídio – que é quando a mãe mata o filho em um estado de depressão ou problema psicológico – ou homicídio”, detalhou.

G1 Tocantins.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here