A reunião reuniu várias famílias que são acompanhadas pela Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) na unidade.

O Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) oferece diversos serviços para a comunidade, entre eles o Serviço de Proteção Integral à Família (PAIF), que promove atendimento às famílias em situação de vulnerabilidade social e também às famílias que dele necessitem.

No Cras, os cidadãos são orientados sobre os benefícios assistenciais e podem ser inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, também de pessoas com deficiência, idosos, crianças retiradas do trabalho infantil, pessoas inseridas no Cadastro Único, beneficiários do Programa Bolsa Família e do Benefício de Prestação Continuada (BPC),  Serviço no domicílio para pessoas doentes e também idosos que não consigam ir até o CRAS para atendimento.

Garante acesso aos Direitos Sociais através de encaminhamentos e orientações durante os atendimentos; realiza um plano de acompanhamento familiar: planejamento conjunto entre família e profissionais (psicólogo e assistente social) do CRAS para que a família supere suas dificuldades e alcance seus objetivos; entre outros.

Na reunião desta quarta-feira 28, o tema abordado na oficina foi sobre Resiliência Humana.

A Psicóloga do CRAS Camila Rocha de Oliveira, explicou que a resiliência é a capacidade de uma pessoa lidar com seus próprios problemas, vencer obstáculos e não ceder à pressão.

Disse ainda que patologias provocadas por meio da ansiedade e depressão são constantes no meio em que vivemos, nesse sentido adquirir resiliência é um fator determinante para saber lidar com tais anomalias.

Segundo a Assistente Social Maria Madalena Moreira Apolinário, rodas de conversa são necessárias, pois possibilitam o trabalho em grupo, a socialização e o fortalecimento das relações familiares e comunitárias.

A reunião contou ainda com atrações musicais apresentadas pelos adolescentes do SCFV (Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos) – Projeto Rede do Bem, dinâmicas de interação conduzida pela equipe, depoimentos dos usuários por meio de rodas de conversas, os quais relataram a importância dos serviços ofertados pelo CRAS de forma a auxiliá-los a adquirir resiliência e fortalecimento de vínculos.

Mesmo sendo um município de pequeno porte, o CRAS de Palmeirópolis consegue atender crianças, adolescentes, adultos e idosos, independentemente da renda.

Respectivamente; Assistente Social Maria Madalena Moreira Apolinário, Usuaria Ana Maria Ferreira e a Psicóloga do CRAS Camila Rocha de Oliveira.

Da redação/Edilson Gonçalves

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here