Defensoria Pública informou que pelo menos 20 detentos estão infectados. Governo confirma morte de um homem que estava em prisão domiciliar, mas nega surto.

Um surto de tubérculos foi registrado dentro da Casa de Prisão Provisória de Porto Nacional. De acordo com a Defensória Pública, pelo menos 20 presos estão infectados.

Além disso, um detento morreu na unidade há cerca de duas semanas com suspeita da doença. O surto foi confirmado nesta segunda-feira (19).

A Secretaria de Cidadania e Justiça informou que não há surto na unidade prisional, mas confirmou que um detento da CPP de Porto Nacional, que estava em prisão domiciliar, morreu por causa da doença.

Disse ainda que na época uma equipe de saúde do presídio realizou exames em alguns agentes penitenciários e detentos para eliminar suspeitas de contaminação e que não há confirmações de novos casos no local.

Sobre o preso que morreu, a Defensoria afirmou que havia informado a diretoria da unidade que o homem estava com tuberculose e pediu para que ele fosse retirado da cela. Porém, a recomendação não foi atendida.

A tuberculose é uma doença infectocontagiosa causada por uma bactéria. A doença afeta principalmente os pulmões, mas também pode se espalhar por outros órgãos. Além disso, pode ser transmitida pelo ar, com a respiração ou tosse.

Conforme levantamento divulgado pela Secretaria de Cidadania e Justiça em outubro, a CPP de Porto Nacional tem capacidade para 40 presos, mas estava abrigando 171 homens.

A superlotação, inclusive, pode ser um agravante para a propagação da doença.

Surto de sarna

Esta é a segunda vez que um surto de doença contagiosa é registrado em um presídio do Tocantins. Em junho, a Casa de Prisão Provisória de Paraíso do Tocantins teve uma epidemia de sarna. Na época, ao menos 254 presos foram contaminados com a doença.

A unidade também estava superlotada. Com capacidade para 50 presos, o local abrigava mais de 300 homens. Para tratar o problema foi preciso fazer uma dedetização de toda a unidade, além de tratar os detentos com medicamentos.

Outro lado

A Secretaria Estadual da Cidadania e Justiça (Seciju), por meio da Superintendência do Sistema Penitenciário Prisional (Sispen) confirma que um reeducando da Casa de Prisão Provisória de Porto Nacional que estava em prisão domiciliar faleceu em 1º de novembro em decorrência da doença tuberculose. E assegura que não há surto na unidade prisional.

Mesmo estando em regime domiciliar, equipe de saúde da unidade prisional, de forma preventiva, realizou exames em alguns agentes e reeducandos da unidade que conviveram com o interno vitimado, enquanto ele esteve encarcerado, a fim de eliminar qualquer suspeita de contaminação. Até então, não há confirmações de novos casos entre reeducandos e agentes.

G1 Tocantins.

Imagem ilustrativa da internet

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here