Os movimentos da dança, além de serem uma manifestação artística para as pequenas, trazem uma série de benefícios físicos e sociais. 

O balé integra mais uma ação da Secretaria Municipal de Assistência Social, que já oferece aulas de música, futebol, capoeira, aos jovens e crianças inseridos no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV).

.

A secretária de Assistência Social de Palmeirópolis, Ana Paula Vaz, destacou os inúmeros benefícios para o corpo e para mente que a criança adquire ao praticar essa atividade.

“Dançar não só é divertido como também muito favorável ao bem-estar físico e emocional das crianças. Além de melhorar a coordenação motora, a dança também ajuda a torná-las mais disciplinada e mais esforçada. Sem dúvidas, uma grande ferramenta de inclusão social”, destacou Ana Paula.

 

A secretária acrescentou ainda, que o balé veio para somar mais modalidades ao Projeto Rede do Bem, “era um sonho que a gente tinha de incluir o balé, porque temos o futebol que é mais voltado para o masculino, a música é voltada tanto para meninos, quanto meninas. Então, nós não tínhamos uma modalidade específica só para meninas, uma aula de dança ou balé, nosso sonho se consolidou”, disse.

 

De acordo com Ana Paula, com o retorno da profissional Maísa Magalhães ao município de Palmeirópolis conseguiram agregar mais esta modalidade no projeto Rede do Bem, assim como nas outras categorias, o balé também vai ter uniformes.

No balé também é necessário a disciplina, acompanhamento escolar e todos os critérios que o projeto envolve nas outras modalidades.

‘Rede do Bem’, é um projeto intersetorial que tem a participação das três secretarias: Secretaria de Educação, Assistência Social e Secretaria de Saúde, todas têm a sua contribuição.

A Educação entra com os professores em todas as modalidades e acompanhamento escolar, a Saúde entra com a parte física, a Assistência Social faz todo monitoramento dando acompanhamento ao Projeto.

A professora Maísa Magalhães relatou que o balé “visa cuidar das crianças, fazer com que tenham uma boa postura, tanto na escola quanto no meio da comunidade e familiar. O respeito que elas adquirem através do balé é muito importante. Não ensinamos somente a flexibilidade que são seus benefícios e capacidade motora. Mas também ensinamos acima de tudo, a disciplina em todo os lugares”, explicou Maísa emocionada.

Ainda segundo a professora Maísa, é observado que as crianças no balé passam a ter uma postura diferente, principalmente na escola com respeito aos professores e colegas.

O balé conta hoje com aproximadamente 80 meninas, com faixa etária de 03 a 17 anos de idade.

Reportagem e fotos/Edilson Gonçalves

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here