Um retrocesso de um projeto lindo, construído há anos e que corre o risco de acabar por uma politicagem suja”. Disse a garota emocionada.

Uma aluna de 14 anos da cidade de Jaú do Tocantins, resolveu fazer um desabafo através de uma carta aberta para chamar atenção das autoridades do Tocantins.

Ela e a família, estão preocupados com a demissão do Cirineu da Rocha, ex-coordenador e idealizador do projeto Família Agrícola.

Veja a carta na Integra:

“Meu nome é Lyvia Guilherme Monteiro, tenho 14 anos, moro em Jau do Tocantins e  sou estudante do (CEFA) José Porfirio de Souza, município de São Salvador do Tocantins”.

“Comecei a estudar naquela escola há pouco mais de um ano, (assim que a escola começou a funcionar). No início foi um pouco complicado para mim, ficar longe de casa, da minha família, durante uma semana, deixar meus amigos de Jaú não foi fácil. Mas depois de um certo tempo, percebi que estava certa, era o melhor para mim. Os educandos, professores e servidores tinham se tornado minha família”.

“Apesar da escola estar funcionando há pouco mais de um ano, ela é um projeto de luta dos atingidos por barragem há mais de dez (10) anos, não podemos nos esquecer disso. O colégio Família Agrícola, foi pensado para os filhos dos trabalhadores e também para ajudar os atingidos por barragem”.

“Durante estes dez (10) anos nosso querido diretor Cirineu da Rocha, esteve lutando e fazendo de tudo para que o colégio começasse a funcionar o mais rápido possível”.

“Para isso, ele comprou as camas com seu próprio dinheiro e várias outras coisas. No começo do ano passado tivemos muitas dificuldades em relação a alimentação, mas nunca nos faltou nada. O nosso ex-diretor Cirineu da Rocha sempre correndo atrás de doações para que não passássemos fome. Sempre atencioso, paciente e preocupado com o ser humano”.

“No começo deste ano, recebemos a revoltante notícia que o nosso diretor havia sido exonerado do cargo. Frustrante! O motivo? Politicagem! Sabe porquê? O nosso diretor não apoiou o atual prefeito de São Salvador nas eleições passada”. Estranho isso, parece uma barganha, mais quem sou eu para acusar”.

“Quero aqui dizer que, não duvidamos do profissionalismo do novo diretor, mas sim, da forma que ele tem sindo usado por políticos. Um retrocesso de um projeto lindo, construído há anos que corre o risco de acabar por uma politicagem suja e maldosa”.

“Peço a compreensão de todos e que veja este caso, principalmente o governador uma explicação uregente”.  

Lyvia Guilherme Monteiro em um dos momentos de aula prática (como preparar a terra).
Lyvia Guilherme Monteiro em um dos momentos de aula prática (como preparar a terra).

Autora: Lyvia Guilherme Monteiro

Fotos: Arquivo de família

Até o momento ninguém se pronunciou sobre o caso, enviamos vários email,s para o governador e também SEDUC, mais até agora não obtivemos resposta. Estamos aguardando.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here