Cidade de Trombas Goiás deve ter nova eleição, prefeito teve o mandato cassado

Prefeito de Trombas tem o mandato cassado pelo TRE.

O prefeito da cidade de Trombas Goiás, Agostinho da Nóbrega Rodrigues (PSDB), e o vice-prefeito Ranoel Dourado Júnior, eleitos com 1.184 votos (48,21),tiveram os diplomas dos respectivos cargos cassados pelo TRE – Tribunal Regional Eleitoral, sob a acusação de Captação Ilícita de Sufrágio (artigo 41-A da Lei Nº 9.504/97) e Abuso de Poder Econômico (artigo 22 da LC Nº 64/90).
Uma cidade da Região Norte do Estado, com pouco mais de 3.500 habitantes, segundo estimativa do IBGE, e situada a 416 quilômetros de Goiânia, Trombas vive a expectativa de ter novas eleições ainda este ano. 

De acordo com a denúncia, durante a campanha eleitoral o então candidato a prefeito Agostinho teria prometido realizar serviços de aração de terras dos moradores do Assentamento José Ribeiro, localizado naquele município.

Isso no ano da realização das eleições, promessa essa ratificada por Agostinho já na condição de prefeito eleito durante uma entrevista a uma rádio local no dia 10 de outubro, após ter sido confirmada a sua vitória nas urnas.

Conforme a gravação de áudio anexada ao processo ele diz.“Quando a gente fez esse compromisso com o pessoal da zona rural, dos assentamentos, nós sabíamos que a política é coisa séria, não é só chegar na casa e tentar enganar as pessoas, tentando conquistar o voto, não. Fiz esse compromisso e graças a Deus, segunda-feira, quem já tiver com sua terra no jeito, para arar, pode nos procurar que os tratores já estão arrumados para fazer o serviço de todo mundo”, disse o prefeito, de acordo com a denúncia apresentada contra ele.

O TRE determinou ainda que o presidente da Câmara Municipal de Trombas, vereador Antônio Macedo Magalhães, seja oficiado para que assuma a chefia do Poder Executivo daquele município até que seja realizada nova eleição, o que deverá ocorrer tão logo seja transitado em julgado o processo.

A decisão ainda cabe recurso junto ao TSE – Tribunal Superior Eleitoral. Se for confirmada a sentença em caráter irrevogável, além de ter o diploma cassado, o prefeito Agostinho ainda deverá pagar multa de R$ 50 mil reais. A multa não foi imputada ao vice-prefeito Renoel, pois no entendimento do TRE, o crime eleitoral foi cometido apenas pelo prefeito.

O presidente da Câmara Municipal Antônio Magalhães, disse que ainda não tinha sido informado oficialmente da decisão. Entramos em contato com o Agostinho Gonçalves, mas ele não quis se pronunciar.

Em caso de posse do presidente da Câmara Municipal no cargo de prefeito da cidade, o vice-presidente Wedson Eugênio Rosa (PR) deverá assumir o comando da Mesa Diretora da Casa, já o vereador Iltmar Divino Borges (PSDB), primeiro suplente, assumirá a nona cadeira da bancada legislativa.   

Nas eleições de 2016, Agostinho teve uma vitória apertada frente ao segundo colocado Cristiano Teixeira, do PT, que somou 1.102 votos (44,87%).

Confiante na realização de nova eleição municipal, o grupo político da oposição já articula a formação de uma chapa para disputa.

O jornal Mapa da Noticia aguarda uma resposta sobre este caso do prefeito cassado ou de sua assessoria.

Com informações do jornal diário do norte
 

Onze cabeças de gado são furtadas de fazenda no município de Paranã TO

Ladrões invadiram fazenda e levaram o rebanho do local.

Cerca de onze cabeças de gado foram furtadas ontem a tarde de uma propriedade rural por nome Sítio Maré Mansa, localizada no trevo da Usina Hidrelétrica de São Salvador, na TO 387, cerca de 48 km de Paranã Tocantins. A ocorrência foi registrada na manhã desta sexta-feira (18), pelo proprietário José Alves de Souza (Professor Zezinho).

De acordo com o proprietário Zezinho, ele foi à fazenda ontem como de costume, ao chegar à porteira, notou o cadeado cortado e rasto de botina diferente da que normalmente usa.

Em seguida, desceu o corredor da fazenda e percebeu que havia rastros de uma caminhonete, indicando ser uma F.4000.

Quando foi ao curral viu o cocho com ração que ele não havia colocado.

Desconfiado foi até o pasto para conferir o gado, foi então que notou a falta de onze cabeças de gado, sendo dez (10) “novilhas” leiteiras e um garrote.

Imediatamente correu para São Salvador e procurou a polícia. A PM acompanhou o proprietário de volta a fazenda e fez as verificações. Como a propriedade é situada no município de Paranã, foi orientado a procurar a delegacia de lá para registrar o (BO), Boletim de Ocorrência.

Ao chegar à delegacia, José Alves de Souza disse que o filho dele Thiago contou que,  quando estava voltando do trabalho indo para Palmeirópolis viu dois carros parados no trevo da entrada da fazenda, sentido São Salvador/Paranã, o condutor estava do outro lado da pista falando ao celular e olhando exatamente para a entrada da fazenda. O outro carro também não identificado, estava do outro lado do trevo sentido Paranã/São Salvador com o pisca alerta ligado.

A vitima desconfia que estas pessoas estavam vigiando a entrada da fazenda para facilitar o furto do gado.

Até o momento ninguém sabe dizer quem cometeu o crime. A polícia continua as investigações para descobrir os autores do furto.

A marca do gado é um CORAÇÃO com as letras JS dentro, quem souber de alguma informação ligar para polícia.

Da redação

Governador Marcelo Miranda é alvo da 5ª fase da Operação Ápia da Polícia Federal

Ele deve ser ouvido nesta manhã na Justiça Federal, em Palmas. Primeira fase da operação foi deflagrada em outubro do ano passado e investiga desvios de recursos públicos.

Polícia Federal realiza a 5ª fase da Operação Ápia na manhã desta sexta-feira (18), em Palmas, para investigar desvio de dinheiro público em obras. Um dos alvos é o governador do Tocantins Marcelo Miranda (PMDB). A informação inicial é que ele foi intimado e deve ser ouvido nesta manhã na Justiça Federal por um ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), já que Miranda tem foro privilegiado em razão do cargo que ocupa. A primeira fase da operação foi deflagrada em outubro do ano passado. 

O outro alvo da operação é o procurador-geral de Justiça, Clenan Renaut de Melo Pereira. Nesta manhã, policiais federais também foram à casa dele, na quadra 108 Norte, onde cumprem mandado de busca e apreensão. A informação é que ele não estava na residência, mas que também foi informado de que deverá prestar depoimento na sede da Polícia Federal.

O governador informou, através da assessoria de imprensa, que está disponível para prestar quaisquer esclarecimentos e informou que irá se manifestar após o depoimento.

O site tenta contato com a defesa do procurador-geral de Justiça.

Entenda

A 1ª fase da operação foi realizada em outubro do ano passado. Na época, 115 mandados judiciais foram cumpridos. Um deles foi contra o ex-governador Sandoval Cardoso (SD), que teve a prisão preventiva decretada e ficou 15 dias preso na Casa de Prisão Provisória de Palmas.

Segundo informações da PF, o grupo suspeito de fraudar licitações de terraplanagem e pavimentação asfáltica no Tocantins funcionava em três núcleos compostos por políticos, servidores públicos e empresários. A suspeita é de que o grupo tenha desviado cerca de R$ 200 milhões.

Entre os investigados está o ex-governador Sandoval Cardoso, que teve prisão preventiva decretada e se apresentou no dia 13 de outubro do ano passado. O ex-governador Siqueira Campos, também é alvo. No ano passado foi levado para prestar depoimento na sede da PF, em Palmas.

Segundo o superintendente regional da PF no Tocantins, Arcelino Vieira, os núcleos eram formados com a intenção de fraudar e burlar a fiscalização de forma a conseguir lucrar com os serviços, que muitas vezes não eram executados.

“O núcleo político era composto por pessoas que compunham o alto escalão do Estado, dois ex-governadores [Sandoval Cardoso e Siqueira Campos] que, através de contratos com Banco do Brasil, conseguiram empréstimos internacionais”, disse.

O superintendente explicou que os empréstimos estavam fundamentados em uma lei estadual, a qual também autorizou o estado a criar um comitê executivo que gerava os recursos e os distribuía para várias secretarias estaduais. Uma delas era a Secretaria de Infraestrutura (Agetrans) que fazia a licitação e o acompanhamento de todas as obras.

Segundo a investigação da PF, os recursos adquiridos através de três linhas de crédito somavam R$ 1,2 bilhão. Deste valor, a Agetrans ficou com R$ 850 milhões para investir em obras nas rodovias, mas os contratos receberam aditivos que se computados, ultrapassariam R$ 1 bilhão.

“Os editais eram recheados de cláusulas restritivas à concorrência que favoreciam empresários do grupo. Ao final se constatou que havia ajuste de preços para dividir o lote entre seis empresas. Está bem clara a existência de um cartel para o fim de fraudar as licitações e desviar dinheiro público federal”, explicou o procurador da república José Ricardo Teixeira.

G1/TO

Kátia insiste que não foi expulsa nem suspensa; Derval discorda e desabafa

Em nota na tarde desta quinta-feira, 17, a senadora Kátia Abreu garantiu que não foi “nem expulsa, nem suspensa” pela Comissão de Ética e Disciplina do PMDB nacional. Segundo a parlamentar, “a Comissão de Ética do PMDB Nacional não tomou qualquer medida contra a senadora Kátia Abreu, tampouco a Executiva Nacional”. O presidente regional do partido, Derval de Paiva, discorda, confirma o afastamento definitivo da ex-aliada e desabafa: “Estamos todos aliviados”.O próprio ofício do presidente da Comissão de Ética do PMDB, Eduardo Battaglia Krause, contradiz o que a senadora afirma em sua nota. Dirigido ao presidente nacional do PMDB, Romero Jucá (RR), o documento, ao tratar das deliberações da comissão nessa quarta-feira, 16, diz textualmente no item 4: “Encaminhamento do pedido de suspensão cautelar da representada, senadora Kátia Regina Abreu, nos termos do artigo 44, do Código de Ética do PMDB, para deliberação da Executiva Nacional”.

Apesar do encaminhamento se tratar das deliberações da Comissão de Ética nessa quarta, Kátia não concorda que houve qualquer decisão e afirma em sua nota: “A Comissão de Ética do PMDB Nacional não tomou qualquer medida contra a senadora Kátia Abreu, tampouco a Executiva Nacional”.

– Confira a íntegra do ofício da Comissão de Ética do PMDB nacional

Comunicado ao TSE e TRE-TO
Para o presidente do PMDB do Tocantins, Derval de Paiva, não resta qualquer dúvida sobre a decisão da Comissão de Ética e garantiu que será mantida pela executiva nacional, já que foi unânime entre os nove membros do órgão. “A suspensão cautelar trata-se do afastamento definitivo da senadora, conforme os próprios especialistas já nos orientaram”, afirmou Derval.

Para ele, o presidente Romero Jucá não tem porquê convocar a executiva nacional para referendar a decisão. “Foi pela unanimidade dos membros da Comissão de Ética, portanto, o presidente Jucá já deve comunicar o TSE [Tribunal Superior Eleitoral] e o TRE do Tocantins [Tribunal Regional Eleitoral] do afastamento definitivo da senadora”, explicou Derval.

Ele disse que recebeu a decisão da Comissão de Ética “sem nenhuma surpresa”. “A comissão já vinha sinalizando que este seria o desfecho por tudo que vinha ocorrendo”, afirmou o presidente do PMDB do Tocantins.

Derval disse que o partido chegou nesse processo “a total saturação, total cansaço”. “Ela  [Kátia] vem mudando para pior, cada vez mais agressiva, mais provocativa. O afastamento definitivo dela era consenso nas hostes peemedebistas”, garantiu o cacique tocantinense do partido.

Fluir melhor
Ele avaliou que o PMDB do Estado agora vai “fluir melhor” e poderá trabalhar “com tranquilidade” os projetos para as eleições de 2018. “Estamos todos muito aliviados com este desfecho, com esta decisão”, desabafou.

Confira a seguir a íntegra da nota da senadora Kátia Abreu:

“NOTA DE ESCLARECIMENTO
 
PMDB Nacional não suspendeu nem expulsou a senadora Kátia Abreu
 
Ao contrário de informações divulgadas por parte da mídia, a senadora Kátia Abreu esclarece que não foi suspensa nem expulsa do PMDB. A Comissão de Ética e Disciplina do PMDB Nacional, em reunião ontem (16), em Brasília – conforme ofício nº 044/17 de 16 de agosto de 2017 (cópia em anexo) – decidiu:
 
1.     Arquivar três representações 003/2016, 002/2016 e 001/2016, contra a senadora Kátia Abreu.
 
2.     Encaminhar à Executiva Nacional o pedido de suspensão cautelar da senadora Kátia Abreu das atividades partidárias, apresentado pela Executiva Regional do Tocantins.
 
A Comissão de Ética do PMDB Nacional não tomou qualquer medida contra a senadora Kátia Abreu, tampouco a Executiva Nacional.
 
“Esse processo se deve a disputas internas do PMDB no Tocantins, onde um pequeno grupo não consegue conviver com divergências. Mas, a despeito de conflitos partidários, continuo servindo com força, coragem e perseverança a população do meu Estado e o País. Aguardarei com tranquilidade e espírito democrático os próximos passos”, afirmou a senadora”.

 Fonte: Cleber Toledo

Prefeito pode ter que devolver quase R$ 2 milhões por fraudes em contratos

Irregularidades em licitações da Prefeitura de Nova Olinda foram apontadas pelo Tribunal de Contas Estadual. Ao todo, 46 irregularidades foram encontradas.

Um relatório do Tribunal de Contas Estadual apontou diversas irregularidades em contratos da Prefeitura de Nova Olinda, norte do Tocantins. O prefeito José Gomes Sobrinho (PTB) agora tem até 15 dias para justificar as possíveis irregularidades ou devolver quase R$ 2 milhões aos cofres públicos.

A vistoria encontrou fraude em licitações para beneficiar empresas privadas. Uma delas teria recebido mais de R$ 500 mil de forma ilegal. A denúncia contra o prefeito foi feita por vereadores.

“A gente sempre pedia ao prefeito informações sobre valores, cópia dos projetos e nunca tivemos essas informações” disse o vereador Reriton Parente (PMDB).

As irregularidades teriam sido praticadas na gestão passada do prefeito, entre 2013 e 2016. O Sobrinho foi reeleito no ano passado. Ao todo, ele terá que apresentar documentos sobre 46 irregularidades apontadas pelo TCE. A investigação segue para saber se houve dano na aplicação de recursos federais.

A Prefeitura de Nova Olinda disse que o prefeito ainda não foi notificado.

G1/TO

Comissão de Ética e Disciplina expulsa Kátia Abreu do PMDB

Kátia Abreu, foi expulsa do PMDB por infidelidade partidária, com base em representação do Tocantins.

O Comissão de Ética e Disciplina do PMDB Nacional decidiu, por unanimidade dos nove membros, nesta terça-feira, 16, expulsar a senadora Kátia Abreu por considerar que ela feriu a ética e a disciplina partidária, com críticas à sigla, ao governo do presidente Michel Temer e por ter votado contra matérias defendidas pela legenda. A expulsão, chamada eufemisticamente pelo PMDB de “afastamento”, teve por base representação do diretório regional do Tocantins.

Agora a decisão da conselho de ética será encaminhada ao presidente nacional, senador Romero Jucá, que poderá referendar ou convocar a executiva nacional para isso. Conforme o CT apurou, Jucá deve confirmar a decisão do conselho e comunicar a expulsão da senadora ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e o Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE-TO). Ela não poderá mais assumir cargos do partido no Senado, nem mais falar em nome do PMDB.

Além da representação que sustentou a decisão do conselho, existem outras três contra a senadora: uma também do Tocantins, outra da deputado federal tocantinense Dulce Miranda e uma da Comissão Nacional da Juventude. Outro caso, do voto da senadora em favor da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), no episódio do impeachment, foi arquivado porque outros parlamentares da legenda também foram absolvidos sob a mesma situação.

Lula e Dilma como testemunhas

Kátia Abreu na sua defesa apresentada também nesta quarta-feira indicou 24 testemunhas. Na lista estavam os ex-presidentes petistas Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. A congressista fez questão de destacar que a legenda não propôs nenhum tipo de punição a filiados condenados por crimes graves, como corrupção e formação de quadrilha, enquanto é acionada por infidelidade partidária.

Em sua defesa, a senadora diz que renomados nomes do PMDB têm enfrentado problemas de ordem criminal, sendo que alguns já foram condenados e presos – como o ex-deputado Eduardo Cunha e o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral. “Até mesmo o presidente da República foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República”, lembra. O partido, porém, não questionou a conduta de nenhuma desses filiados.

Entenda
A senadora Kátia Abreu deixou o PSD em setembro de 2013 para ingressar no PMDB. Ela teve importante papel para garantir o comando do partido no Estado ao governador Marcelo Miranda, que disputava a sigla com o então deputado federal Júnior Coimbra. Para isso, Kátia usou a influência que tinha junto ao então presidente nacional da sigla, Valdir Raupp, e ao então vice-presidente da República, Michel Temer.

Para dar a legenda a Kátia e Marcelo nas eleições do Tocantins de 2014, a cúpula peemedebista chegou a fazer uma intervenção em diretórios municipais do Estado às vésperas das convenções. Kátia foi colocada como vice-presidente do PMDB estadual na comissão provisória criada e assumiu a presidência com a saída do senador Waldemir Moka (MS).

Após a vitória de outubro de 2014, Kátia rompeu com Marcelo, numa briga homérica no final de dezembro daquele ano. Depois começou outra batalha pelo comando do PMDB tocantinense com o governador, que só acabou com um acordo na executiva nacional, que dividiu os cargos meio a meio, deixando a presidência com o marcelista Derval de Paiva.

Com a crise nacional se aprofundando, Kátia, então ministra da Agricultura do governo do PT, passou a criticar publicamente seu partido, o governador Marcelo Miranda e a cúpula do PMDB que a tinha ajudado em 2014. No impeachment, em 2016, a senadora assumiu a linha de frente de defesa de Dilma no Congressso. Após a posse de Temer, ela passou a criticar e votar contra o novo governo, ao mesmo tempo que engrossava a voz contra o ex-aliado Marcelo Mirada.

Kátia está conversando com o PDT e com o Podemos.

Confira a lista de testemunhas indicadas pela senadora Kátia Abreu:

1. Douglas Marcelo Alencar Schmitt – Tocantins
2. Ângela Alves – Tocantins
3. Alexandre Fleury Jardim – Tocantins
4. Jorge Wazeler Pés (Jorge Gaúcho) – Tocantins
5. Jair Martins – Tocantins
6. Deputado Estadual Rocha Miranda – Tocantins
7. Governador Ivo Sartori – Rio Grande do Sul
8. Senador Renan Calheiros – Alagoas
9. Senador Roberto Requião – Paraná
10. Senador Eduardo Braga – Amazonas
11. Senador Edson Lobão Filho – Maranhão
12. Senador Eunício Oliveira – Ceará
13. Senador Valdir Raupp – Rondônia
14. Senador Jorge Vianna – Acre
15. Senador Armando Monteiro – Pernambuco
16. Senador Wellington Salgado – Minas Gerais
17. Deputado Laura Carneiro – Rio de Janeiro
18. Deputado José Augusto Pugliesi – Tocantins
19. Ex. Governador André Puccinelli – Mato Grosso do Sul
20. Ex. Prefeito Eduardo Paes – Rio de Janeiro
21. Ex. Presidente Dilma Vanna Rousseff – Rio Grande do Sul
22. Ex. Presidente Luís Inácio Lula da Silva – São Paulo
23. Ministro Gilberto Kassab – São Paulo
24. Ministro Leonardo Picciani – Rio de Janeiro

 Fonte: Clebertoledo

Em Palmeirópolis, objetos furtados são recuperados e autores adolescentes apreendidos

Cidade do interior do Tocantins no mundo do crime.

Na manhã de ontem terça-feira, 15, três menores infratores acusados de furto a estabelecimento comercial foram apreendidos em Palmeirópolis. Em poder dos adolescentes os militares localizaram os objetos que foram subtraídos do estabelecimento (semi jóias, roupas, relógio, etc).

A apreensão dos infratores ocorreu em bairros distintos dos municípios de São Salvador e  Palmeirópolis, momento em que foram sendo localizados os objetos que foram divididos após a prática delituosa no domingo, 13.

Os objetos recuperados e os autores acompanhados dos seus respectivos responsáveis juntamento com o representantes do Conselho Tutelar foram conduzidos para a Delegacia de Polícia local.

Fonte: Ascom 4ºbpm

Mesmo não fazendo parte da Comissão Especial da PEC 306/2017, Gaguim acompanhou a sessão

 Atuação Parlamentar Deputado Carlos Henrique Gaguim.

O deputado federal Carlos Gaguim (Podemos) acompanhou nesta terça-feira, 15, de uma sessão da Comissão Especial que trata da Proposta de Emenda Constitucional – PEC 306/2017, de autoria do deputado Hildo Rocha (PMDB-MA) que altera a Constituição Federal para inserir no rol de cargos privativos de brasileiros natos os de senador da República, de governador, vice-governador e de Ministro das Relações Exteriores.

O deputado Gaguim, disse: “apesar de não fazer parte como membro da Comissão Especial da PEC 306/2017, estou acompanhando a matéria, por tratar-se de assunto relevante, de interesse de segurança nacional e da soberania do nosso país. “

Convocada para a discussão e votação do parecer apresentado pelo relator, Deputado Sóstenes Cavalcante – DEM/RJ, com presença da maioria dos membros, totalizando 22 presenças, a reunião ordinária aconteceu no Plenário 10, do Anexo II, da Câmara dos Deputados, sendo lido o relatório com parecer pela aprovação.   Os deputados presentes concordaram com a aprovação da matéria, porem a aprovação não aconteceu em razão do pedido de vista conjunta do Dep. Tadeu Alencar PSB/PE, que alegou necessidade de se inteirar do relatório apresentado pelo relator.

“Quero parabenizar o excelente trabalho do meu colega Dep. Sóstenes Cavalcante, que apresentou um parecer brilhante e esclarecedor sobre a matéria, inclusive com sugestão essencial de melhoria no texto original”. Afirmou o ex-governador Gaguim.

Fonte:

Assessoria do deputado Gaguim

CÂMARA DOS DEPUTADOS

Casal é preso suspeito de praticar roubos em pontos de ônibus de Palmas

Rapaz de 19 anos e menina de 17 foram detidos em Paraíso do Tocantins com vários objetos roubados e drogas. Segundo a polícia, eles têm passagens por furto e tráfico.

Um casal foi preso em Paraíso, na região central do estado, suspeito de praticar roubos em pontos de ônibus nas ruas de Palmas. Os suspeitos foram detidos em uma casa com diversos objetos e drogas. As informações são da Polícia Civil.

Com os suspeitos foram encontrados nove celulares, várias bolsas e mochilas, além de carteiras e R$ 54 em dinheiro. Também foi localizado um tablete de maconha e porções da droga prontas para venda.

Foram presos um jovem de 19 anos e uma adolescente de 17. Ambos têm passagem pela polícia por furto e venda de drogas. Segundo a polícia, o rapaz saiu da cadeia há uma semana, onde cumpria pena por tráfico.

G1/TO

Laudo confirma que restos mortais encontrados dentro de jacaré são de humanos

Moradores do município de Lagoa da Confusão mataram o animal após um homem desaparecer no rio Javaé. Secretaria de Segurança Pública disse que segue com investigações para esclarecer o caso.

Os restos mortais encontrados na barriga de um jacaré são de humanos, segundo exames periciais feitos pela Polícia Científica. A informação é da Secretaria de Segurança Pública do Tocantins. O animal foi morto no município de Lagoa da Confusão no dia 30 do mês passado depois de um homem desaparecer no rio Javaé. A Polícia Civil disse que segue as investigações para esclarecer o caso.

A SSP ainda não informou de quem são os restos mortais. Para os moradores da região, os restos mortais são de Adilson Bernardes de Oliveira, 47 anos. Ele sumiu no dia 28 de julho, enquanto acampava com amigos à beira do rio.

“O dono do local contou que foi dormir, por volta de 22h [do dia 27 de julho] e quando acordou não viu Adilson. Ele procurou e encontrou os chinelos e um isqueiro perto do rio”, contou o sargento dos Bombeiros Ronaldo Barbosa, que ajudou nas buscas.

Os militares foram chamados e fizeram buscas por terra, na margem e ao longo do rio, durante dois dias. Durante os trabalhos os militares viram mais de sete jacarés, sendo quatro adultos, com mais de 4 metros de comprimento.

Sem sucesso nas buscas, os Bombeiros relataram que os moradores resolveram capturar um dos jacarés e mataram o animal. Dentro dele, foram encontrados sacolas e restos mortais.

“Os moradores acreditam que os animais tenham devorado o homem. Os jacarés estavam com uma barriga cheia, desproporcional. Dentro do que foi morto, foram encontradas sacolas e Adilson andava sempre com sacolas nas calças”.

Caso semelhante

Em abril do ano passado, um jacaré foi morto em Araguacema, região oeste do Tocantins. Dentro da barriga do animal, moradores localizaram restos mortais. Eles acreditavam que o material era de um homem desaparecido no rio.

Rogério Marques de Oliveira, de 41 anos, havia sumido no mesmo mês. Os Bombeiros procuraram por ele durante quatro dias, mas ele não foi encontrado. Parentes contaram à polícia que ele teria sido atacado por um jacaré e puxado para o fundo do Rio Araguaia.

G1/TO