Na véspera da posse, Iris ainda não divulga secretariado

O prefeito eleito de Goiânia, Iris Rezende Machado (PMDB) mantém o suspense sobre o seu secretariado. Nos bastidores há a informação de que o anúncio poderá ocorrer somente após a posse. Deverão ser anunciados inicialmente os principais nomes e depois os demais. A solenidade de posse do peemedebista está marcada para às 15 horas deste domingo.

Durante esta semana várias reuniões foram realizadas para discutir o secretariado. Algumas no escritório dele na Avenida T-9, no Setor Marista, outras fora. Esta semana, o prefeito eleito também acompanhou as movimentações para a eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal. Nesta sexta-feira (30), vereadores foram até o escritório para dizer que apoiam Andrey Azeredo (PMDB.)

Diário de Goias

Morre o ator mineiro Adilson Maghá

Artista de 68 anos trabalhou recentemente na novela “Velho Chico”

O ator Adilson Maghá, de 68 anos, morreu neste sábado, 31, em Belo Horizonte. O ator trabalha desde o anos 1980 na TV, e mais recentemente fez papéis nas novelas Sete Pecados, Caminho das Índias, Araguaia e Velho Chico. De acordo com uma postagem do filho dele Gustavo Marquezini, Adilson Maghá não resistiu ao tratamento de um câncer no pulmão.

Ele foi submetido a cirurgia cerebral essa semana, mas não sobreviveu. O ator nasceu na Grande Belo Horizonte, e ainda fez curtas e longas-metragens ao longo da carreira. Com informações do Estadão e Noticias ao Minuto.

Vítimas de Mariana podem receber indenização no final de 2017

A tragédia completou um ano no dia 5 de novembro de 2016.

O cálculo e o pagamento das indenizações finais aos atingidos da tragédia de Mariana (MG) poderão finalmente ocorrer em 2017. Essa é a aposta tanto do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) como da Fundação Renova, que foi criada pela mineradora Samarco para gerir os projetos de reparação dos danos causados pela tragédia.

A tragédia de Mariana completou um ano no dia 5 de novembro de 2016. O rompimento da barragem de Fundão, pertencente à Samarco, liberou mais de 60 milhões de metros cúbicos de rejeitos em 2015, que provocaram devastação da vegetação nativa, poluição da Bacia do Rio Doce e destruição dos distritos de Bento Rodrigues e de Paracatu, além de outras comunidades. Dezenove pessoas morreram. O episódio é considerado a maior tragédia ambiental do país.

Apenas alguns impactados já receberam verbas indenizatórias. Em acordo com o MPMG, a Samarco antecipou em 2016 valores para quem perdeu veículos e moradia. Foi definido um montante padrão. No caso da moradia, por exemplo, quem perdeu casa recebeu R$ 20 mil e quem perdeu moradia de fim de semana, R$ 10 mil. As famílias das 19 pessoas que morreram também obtiveram um adiantamento, calculado em R$100 mil. Esses valores, porém, são parciais.

“Agora estamos caminhando para o cálculo da indenização final que irá dizer exatamente o valor das perdas, contemplando todos os direitos violados dos atingidos. Do valor calculado, serão descontadas as antecipações que já foram pagas”, explica Guilherme Meneghin, promotor do MPMG na comarca de Mariana.

Um cadastro classificando a situação de todos impactados está sendo realizado em conjunto pelo MPMG, pela Samarco e pelas suas acionistas Vale e BHP Billiton. O levantamento abrangerá os milhares de atingidos em toda a área afetada, de Minas Gerais ao Espírito Santo. Constarão no cadastro, por exemplo, informações como o perfil socioeconômico de cada um e a relação de bens perdidos. Serão considerados dados da Defesa Civil, do MPMG e também apresentados pelos próprios atingidos. As informações serão analisadas caso a caso.

Aposta em acordos

Guilherme Meneghin acredita que até fevereiro o cadastramento será concluído. “A nossa expectativa é que em 2017 nós tenhamos ainda o cálculo e o pagamento das indenizações finais”, afirma. O MPMG tem a expectativa de que os atingidos e a mineradora cheguem a um acordo sobre as indenizações. Do contrário, o Judiciário é quem deverá arbitrar os valores e, nesse caso, a conclusão do processo em 2017 fica improvável.

A Fundação Renova também aposta na realização de acordos. Mas admite tratar-se de um desafio difícil. “Pode ser que nós encontremos indivíduos que não vão concordar com o processo e prefiram buscar uma solução através do trâmite de uma ação judicial”, diz o gerente executivo de Programas Socioeconômicos da Fundação Renova, José Luiz Furquim.

Ações conjuntas

Segundo Meneghin, que é o responsável no MPMG por resguardar apenas os interesses dos atingidos de Mariana, a união dos moradores dos distritos de Bento Rodrigues e Paracatu tem sido um marco. Com exceção de quem perdeu parentes, ninguém entrou com ação individual.

O MPMG ajuizou diversas ações civis públicas, nas quais todos foram beneficiados. Com essa estratégia se obteve, por exemplo, a antecipação das indenizações, o compromisso da Samarco de pagar aluguel de casas temporárias em Mariana, a distribuição das doações em dinheiro pela prefeitura, o atendimento psicossocial e o direito à assistência técnica de confiança dos atingidos.

Essa atuação coletiva é, na opinião de Meneghin, fundamental também na definição das indenizações. “É um processo complexo. São 1,5 mil atingidos só em Mariana, cada um com diferentes experiências de vida, com danos pessoais, materiais e morais muito diversificados. Tinha pessoas com patrimônio pequeno, outras com patrimônio grande. Mas será um processo participativo”, diz.

Durante o processo de decisão, o MPMG dialoga com a comissão de moradores dos distritos atingidos, que conta atualmente com uma assessoria técnica fornecida pela Cáritas, com profissionais de diversas áreas, como arquitetos, advogados, agrônomos e historiadores.

Auxílio financeiro

Enquanto as indenizações não chegam, uma notícia deixou os atingidos aliviados nesse fim de 2016. O auxílio mensal concedido pela Samarco a todos os que perderam renda em decorrência da tragédia foi renovado por dois anos. Os valores são pagos por meio de um cartão, e cada beneficiado recebe um salário mínimo, acrescido de 20% para cada dependente, além do valor de uma cesta básica.

Conforme acordado em dezembro de 2015, esse auxílio teria validade inicial de um ano. Ele foi reconhecido como um direito assistencial dos atingidos e não configura indenização. Ou seja, seus valores não serão abatidos no cálculo final das indenizações. No início de novembro deste ano, moradores já manifestavam preocupação com uma possível interrupção do benefício.

“Minha diária de pedreiro era R$130. Nesses distritos pequenos há pouca mão de obra qualificada. E eu tinha moto, então também atendia aos distritos vizinhos. Fazia muito serviço. Aqui no centro de Mariana é muito difícil conseguir trabalho, porque envolve confiança. Como uma pessoa vai te dar uma obra para fazer se ela não te conhece?”, disse o pedreiro Tcharle do Carmo Batista, de 23 anos, que morava em Paracatu, distrito localizado a 34 quilômetros do centro do município.

Em audiência judicial realizada no dia 28 de novembro, o MPMG e a Fundação Renova concordaram que a maioria dos atingidos não conseguiu reativar suas atividades econômicas. Em novo acordo, o cartão foi renovado até dezembro de 2018.

Moradias

Outra novidade que deverá ocorrer em 2017 é o início da reconstrução física dos distritos destruídos. Atualmente, os moradores desses locais moram em casas alugadas pela Samarco em bairros variados de Mariana, o que será mantido até o reassentamento. A mineradora, por meio da Fundação Renova, pretende entregar as novas comunidades em 2019. Os terrenos já foram definidos, e a aquisição do local onde será o novo Bento Rodrigues já ocorreu. O processo de compra da área em que Paracatu será reerguido está avançado e deverá ser concluído no início do próximo ano.

De acordo com o cronograma, estão previstas para 2017 as obras de supressão vegetal e terraplanagem e o início da abertura de ruas. Já as novas casas devem começar a ser construídas somente em 2018, conforme desejos dos moradores. A Fundação Renova realizou neste ano diversas reuniões para fazer um mapeamento de expectativas e apresentar um desenho urbanístico. “Em um processo como esse, a construção em si nem é tão complexa se comparada com toda a discussão e definição que tem que ocorrer antes”, diz José Luiz Furquim, Fundação Renova. As novas moradias serão consideradas para o cálculo das indenizações finais.

O futuro dos terrenos nos distritos destruídos ainda será discutida. Está pendente a definição se eles serão usados como contrapartida dos atingidos. “Há famílias que querem manter os terrenos e outras que já manifestaram que não têm interesse. Nossa ideia é discutir a solução em conjunto”, acrescenta Furquim.

As comunidades de Bento Rodrigues e Paracatu foram tombadas pelo Conselho Municipal do Patrimônio Histórico de Mariana. O objetivo é construir um memorial, na forma de um museu ou parque, ainda a ser definido. Com informações da Agência Brasil.

Noticias ao Minuto

Junior Geo questiona aumento abusivo de impostos no município em tempos de crise

Segundo o parlamentar, a prefeitura enviou para votação um “pacote de maldades” com a possibilidade de aumento do IPTU e outros assuntos nos últimos dias do ano para que não sejam analisados.

O vereador professor Júnior Geo usou a tribuna na primeira sessão extraordinária desta sexta-feira, 30, para expor insatisfação quanto ao acúmulo de projetos encaminhados ao Legislativo pela gestão municipal, dentre eles o que pode causar o aumento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU).  A galeria da Câmara Municipal de Palmas estava preenchida por cidadãos em manifestação, o que, segundo o vereador, é essencial neste momento, tendo em vista que a sociedade é a maior interessada.
 
Mais de 20 projetos foram encaminhados à Casa de Leis após o término regimental de sessões ordinárias em dezembro, oito no penúltimo dia de ano. O tempo para apreciação, análise e votação foi reduzido aos vereadores, tendo em vista a finalização do mandato. O questionamento de Júnior Geo é se há má fé ao encaminhar desta forma ou se não houve tempo hábil para que resolvessem as pendencias.
 
Geo explicou a existência de um projeto que prioriza grandes empreiteiros e, segundo a prefeitura, fomenta o setor da Construção Civil. “O Executivo está propondo renunciar a arrecadação de grandes empreiteiros e colocando a sociedade para pagar a conta com o IPTU, por exemplo”, afirmou.  A votação destes projetos está prevista para sessão extraordinária das 18h desta sexta-feira, 30, convocada pelo presidente da Casa.
 
Cobrança do ITPU
 
O imposto já havia sofrido aumento em 2013 e debate surge novamente. A explicação do vereador é que o imposto é por lei, cobrado em cima do valor do imóvel e pelo momento de crise, os valores reduziram. Apesar da redução, o projeto do Executivo visa alterar a base de cálculo para que se pague mais. “O que está sendo proposto pelo Executivo é um pacote de maldades diante de tantas arrecadações”, afirmou Geo.
Informações (ogirassol/Por Gabriela Melo)

Veja dicas para ter uma ceia saudável no Reveillon

O consumo excessivo de alimentos calóricos, a ausência de fibras, o abuso de doces, carboidratos e ingestão exagerada de álcool são fatores capazes de inverter as expectativas de uma refeição saudável.

Nesta época do ano muitos alimentos calóricos fazem parte das ceias de Reveillon, além de bebidas alcoólicas, doces e guloseimas. Porém, com a proximidade das comemorações vem à tona a preocupação de como se alimentar corretamente, sem abusos e prejuízos à saúde do corpo e do coração. Para prevenir os excessos é necessário seguir algumas receitas simples de alimentação e de comportamento, que podem fazer toda a diferença, tornando as comemorações saudáveis ao coração.

Para não fugir do banquete usual é importante ser criativo e cuidadoso na escolha e no preparo das ceias – para torná-las saudáveis e menos calóricas -, além de manter o sabor característico. No prato principal é importante usar carnes magras como o peru, chester, frango e o lombo acompanhado de cereais integrais (arroz com sete grãos) tendo assim grande valor nutritivo e pouco calórico.

Segundo a Gerente de Gastronomia do HCor (Hospital do Coração), Juliana Guedes Simões, uma ceia saudável deve seguir algumas regras para que não se torne prejudicial à saúde. “O consumo excessivo de carne de porco, ausência de fibras, abuso de doces, carboidratos e ingestão exagerada de álcool são fatores capazes de inverter as expectativas de uma refeição saudável”, esclarece Juliana Simões.

Para quem está procurando um cardápio que foge ao habitual para celebrar as festas com os amigos e familiares, a Gerente de Nutrição do HCor, Rosana Perim Costa, elenca algumas dicas. “É importante substituir ingredientes ou preparações mais calóricas por alimentos ricos em fibras, vitaminas e sais minerais que vão auxiliar na digestão e no controle do diabetes, hipertensão e colesterol”, esclarece Rosana Perim.

Dicas do HCor (Hospital do Coração) para ceias de Reveillon:

Antes da ceia faça pequenas e leves refeições durante o dia, beba bastante líquido e evite ficar “beliscando” os alimentos enquanto os prepara. Na hora, preencha o prato com um tipo de carne magra (assada ou grelhada e de preferência sem pele), metade com saladas e o restante com acompanhamentos saudáveis (arroz com amêndoas, farofa com frutas, etc). Como sobremesa prefira os doces com frutas, sorvetes e frutas natalinas.

Evite alimentos com alto teor de gorduras: frituras, salgadinhos, embutidos, maionese, queijos gordurosos (gorgonzola, provolone, catupiry, cheddar), carnes gordurosas (pernil, bacon, salame), massas com cremes, creme de leite, molho branco 

e doces com chantilly e cremes.

Noticias ao Minuto

Governador fala sobre investigação na operação Reis do Gado

Marcelo Miranda disse que família se sentiu afetada pela situação.
Ele é alvo de investigação sobre lavagem de Tocantins.

Em entrevista à TV na sexta-feira (30), Marcelo Miranda falou sobre ter sido alvo de investigações durante a operação Reis do gado, da Polícia Federal, que investiga corrupção e lavagem de dinheiro no Tocantins entre os anos de 2005 e 2012. O governador do Tocantins também fez um balanço de 2016 e falou sobre as prioridades para 2017. “Quando fomos questionados pela Polícia Federal, procuramos cumprir a missão que foi designada por nós. Não deixa de afetar, a família onde o pai e mãe sempre criou os filhos para o trabalho […] Quero dizer a todos que me conhecem que o governador Siqueira Campos não merecia passar por isso. Homens como Brito Miranda e demais pessoas que tem história nesse estado estão aí para servir, sempre serviram. Se houve um acontecimento externo, a intenção dos governantes não é fazer mal a sociedade. Nós queremos sempre o melhor para o estado.”

A operação Reis do Gado foi realizada no final de novembro. Marcelo Miranda e o secretário de infraestrutura Sérgio Leão são alvos da investigação. O governador e o ex-governador Siqueira Campos foram conduzidos coercitivamente para prestar depoimento.

A operação teve oito mandados de prisão temporária, 24 de condução coercitiva e 76 de busca e apreensão nas cidades de Palmas e Araguaína (TO), Goiânia (GO), Brasília (DF), Caraguatatuba (SP), e nos municípios de Canaã dos Carajás, Redenção, Santa Maria, São Felix do Xingu, no Pará. Segundo a PF, os mandados foram expedidos pelo STJ.

Marcelo Miranda prestou depoimento por quatro horas na sede da Polícia Federal, em Palmas, e saiu sem dar entrevista. O chefe da Delegacia de Repressão e Combate ao Crime Organizado, Cleyber Malta, explicou que ele foi levado para prestar depoimento porque foi verificado que algumas empresas que estabeleceram contratos em 1998, na gestão dele, para a construção de pontes, permaneceram executando serviços em várias gestões.

Lavagem de dinheiro
O superintendete da PF disse que a suposta lavagem era feita, ora pela compra e venda de gado, ora pela compra e venda de fazendas. Uma das fazendas compradas no Pará teria sido registrada por R$ 20 mil, sendo que o valor da propriedade chegava a R$ 40 milhões. A polícia investiga se houve a partipação de cartorários no registro do imóvel. A PF disse que a lavagem envolve outros bens como aeronaves, carros e salas comerciais.

Conforme a PF, o caso começou a ser investigado há cerca de um ano. Durante a investigação foi verificado que a família do governador teria o segundo maior rebanho do estado do Pará, totalizando 30 mil cabeças de gado. A atividade, segundo a polícia, era usada para mascarar a origem de outros recursos.

Dos R$ 200 milhões que teriam sido lavados, “R$ 60 milhões eram em dinheiro que circulavam na conta de terceiros e ao final, parte dos valores teria voltado para posse da família do governador”, explicou Malta.

Todos os bens de Marcelo Miranda, do pai e de um um dos irmãos foram bloqueados. Além disso, serão investigadas as prestações de conta no Imposto de Renda de todos eles. Segundo a PF, os registros declarados estão em desacordo com o que foi movimentado em conta.

O valor de R$ 200 milhões foi detectado no processo de lavagem, mas o dinheiro das contratações supera esse valor.

G1 To

 

Justiça não vai impedir que prefeitos e vereadores com processos tomem posse neste domingo

Mesmo correndo o risco de novas eleições todos vão ser empossados neste domingo 1º de janeiro.

A população de vários municípios do País, e pelo menos cinco são do Tocantins, vive a expectativa de novas eleições ou troca de candidatos eleitos devido aos vários processos que correm na Justiça Eleitoral, mas que só voltarão a serem analisados a partir do dia 20 de janeiro.

Os motivos são as férias coletivas do judiciário, tecnicamente batizada de “recesso forense”, que impedem que juízes eleitorais julguem os processos impetrados contra os candidatos. De 20 de dezembro de 2016 a 20 de janeiro, de 2017, a Justiça estacionou e todos os prazos processuais foram suspensos.

Por este motivo, se permitirá que todos os candidatos eleitos em 2 de outubro de 2016 tomem posse em seus municípios independentemente da gravidade de seus casos. Sejam eles prefeitos ou vereadores.

O “recesso” poderá causar transtornos ainda maiores em cidade onde os candidatos eleitos correm maiores riscos de serem considerados inelegíveis. É o caso de Pium, Palmeirópolis e Dianópolis, no Tocantins, além de outros eleitos no Estado. Também constam processos contra candidatos em Monte Santo, Marianópolis e Pugmil.

CHAPADA DE AREIA COMO EXEMPLO

No mandato que se encerra amanhã, o prefeito afastado de Chapada de Areia, Joãozinho Milhomem (PR), conseguiu se manter no poder durante 3 anos e 7 meses protelando julgamento de seus processos nas mais diversas estâncias do judiciário.

O mesmo deverá ser tentado pelos candidatos que correm risco de perderem seus mandatos conquistados em outubro passado.

O não julgamento das ações antes do dia 20 de dezembro, quando iniciou o “recesso forense”, trará grandes prejuízos aos municípios que estão com suas eleições sub judice. Ou seja, que ainda não foram transitados em julgado.

Apesar do clima festivo entre os grupos que assumem essas prefeituras, existe o temor do afastamento imediato, por ordem judicial. Os novos prefeitos precisarão montar suas equipes, mas não sabem se ficam devido aos processos que carregam nas costas. Se cair, de quebra, levam seus vices juntos, como ocorreu na pequena Chapada de Areia.

(Portal Benício)

Ossadas são encontradas na Serra do Carmo com marcas de tiro na cabeça

Operação foi realizada pelo Corpo de Bombeiros e Polícia Civil.
Conforme os bombeiros, ossadas são de dois adolescentes.

O Corpo de Bombeiros e a Polícia Civil fizeram a retirada de duas ossadas encontradas na Serra do Carmo, na zona rural de Palmas, na manhã desta sexta-feira (30). Os restos mortais foram localizados na tarde desta quinta-feira (29) com marcas de tiros na cabeça, durante buscas feitas pelos policiais, próximo de um mirante.

 

Festa da Virada contará com força-tarefa de Segurança Pública

Mais de 200 agentes estão em pontos estratégicos do circuito.

A Festa da Virada em Palmas contará com a presença de mais de 200 agentes de segurança, que estarão em pontos estratégicos do circuito. Em reunião realizada na manhã desta sexta-feira, 30, integrantes da Secretaria Municipal de Segurança, Defesa Civil e Trânsito, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Agência Municipal de Turismo, Saúde e Desenvolvimento Urbano discutiram detalhes da atuação da segurança a ser adotada no evento.

Postos de segurança, seis pontos de observação elevada, dois ônibus do programa “Crack é Preciso Vencer”, quatro viaturas do Corpo de Bombeiros e dezenas de veículos da Guarda Metropolitana, Agência de Trânsito e Polícia Militar. “Todas as forças de segurança trabalharão em conjunto para que o público possa festejar a chegada do Ano Novo com muita tranquilidade”, afirma o secretário municipal de Segurança, Defesa Civil e Trânsito, Francisco Viana.

As entidades de segurança alertaram as famílias que desejarem montar acampamento, camarotes ou fazer piquenique na praia para que evitem objetos cortantes, travessas, vidros, frascos de bebidas e materiais pontiagudos. “Convidamos a população a ser parceira na busca de uma festividade segura. Uma virada de ano com muita paz”, frisou o major da PM De Souza.

 O major alertou também para condutas preventivas. “Pedimos que os pais se mantenham próximo às suas crianças e que as mesmas usem pulseiras de identificação; as pessoas devem evitar andar sozinhas em locais ermos ou afastados, evitar trazer grande quantidade de dinheiro na carteira e proteger celulares e máquinas fotográficas”, destacou.

 Os agentes de trânsito alertam as famílias que precisam levar equipamentos para camarotes e de camping que o acesso, após às 17 horas, só será realizado apenas por pedestres. Som automotivo não será permitido no local.

 De acordo com técnicos da Secretaria Municipal de Acessibilidade, Mobilidade, Trânsito e Transportes (SMAMTT), haverá fiscalização e acompanhamento durante todo o decorrer do evento com controle do tráfego, fiscalização de ônibus, táxis e mototáxis, orientação sobre o consumo de álcool e, a partir da 1h do dia 01 de janeiro de 2017 haverá blitz para coibir a condução de veículos por pessoas alcoolizadas.

 Ônibus

O transporte coletivo terá horários diferenciados com veículos da linha Eixão saindo da estação Javaé, em Taquaralto, a partir das 18 horas, de 10 em 10 minutos. Na estação Apinajé haverá ônibus também a partir das 18 horas saindo de 15 em 15 minutos.

Virada gastronômica

Dez barracas com comidas que participaram do Festival Gastronômico estarão em funcionamento na Praia da Graciosa com pratos como crepes, pastéis, caldos etc. Também estarão presentes vendedores ambulantes e brinquedos infláveis.
(Secom/Palmas) e Portal Stylo

Câmara de Palmas aprecia hoje projeto de lei do IPTU em sessão extraordinária convocada para às 18h

Relator deve apresentar parecer contrário à proposta.

O projeto de lei que revisa a Planta de Valores Imobiliária de Palmas e redefine a base de cálculo para a cobrança do IPTU será apreciado pela Câmara de Vereadores nesta sexta-feira, 30, em sessão extraordinária convocada pelo presidente Rogério Freitas, para às 18 horas.

Os vereadores chegaram à casa logo cedo e o projeto está envolto em polêmica já que traz uma redução no valor venal dos imóveis em até 20%, mas aumenta a base de cálculo do IPTU em até 36%.

Na Casa, a oposição mobilizou a comunidade e está segurando os projetos nas comissões. O presidente Rogério Freitas (PMDB) afirmou que colocará a matéria em pauta nem que seja obrigado a convocar sessões extras no período noturno.

O relator, vereador Milton Neris (PP) já sinalizou que seu parecer será contrário à matéria, já que, segundo ele, o país vive momento de crise econômica e a população não consegue suportar o aumento de impostos.

A prefeitura explicou que a mudança no valor da base de calculo foi feita com a intenção de cumpri a meta de arrecadação com o imposto, que é de R$ 48 milhões para 2017, caso as novas alíquotas não sejam aprovadas, a prefeitura poderá ter frustração de receita de 8%.

A comissão de Finanças, presidida pelo vereador Lucio Campelo (PR ) também está discutindo outros projetos de autoria do executivo. Um trata do aumento da taxa de coleta de lixo e da contribuição de iluminação pública.

OAB

A Ordem dos Advogados do Brasil- Seccional Tocantins (OAB-TO) se manifestou contrário ao projeto que tramita na Câmara de Palmas. A entidade teve o projeto avaliado pelas comissões de Direito Urbanístico e Direito Imobiliário.
A entidade explica que os índices propostos pela Prefeitura ficam acima da inflação dos últimos 12 meses, de 8,75%, conforme apuração do IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado). A OAB sugeria que a prefeitura retirasse o projeto da Casa.

Portal Stylo