Depois do feijão, quais podem ser os próximos vilões da inflação?

O feijão tomou o lugar do tomate como alimento que anda pesando no bolso dos brasileiros. O preço do carioca, variedade popular no Sudeste, subiu 54,09% até junho, segundo o IPCA-15, índice do IBGE considerado como a prévia da inflação.

No ano passado, uma caixa de tomates chegou a custar o dobro do que em 2014. Com a inflação ainda alta, muita gente se pergunta: qual vai ser o próximo vilão das compras?

Para tentar responder, a BBC Brasil conversou com economistas e especialistas no mercado de agronegócio. Segundo eles, os itens que podem causar mais preocupação nas próximas semanas são o leite, o milho e o arroz.

O clima é o fator comum em todas as altas, explicam os entrevistados. A distribuição irregular de chuvas neste ano prejudicou a produção dessas culturas.

Fortes chuvas no Rio Grande do Sul afetaram produção do arroz e elevaram os preços

Arroz

No caso do arroz, as tempestades no Rio Grande do Sul – maior produtor – em abril atrasaram a colheita e causaram uma quebra de 15% na safra. Com menor oferta, os preços cresceram 5,21% até junho, segundo dados do IPCA-15. E devem continuar aumentando até as próximas colheitas, no começo de 2017.

“De acordo com o nosso levantamento, no município de São Paulo variou 6,28% neste ano. E vai subir significativamente nos próximos dois meses”, diz o pesquisador Vagner Martins, do Instituto de Economia Agrícola.

Pode parecer que 6% é pouco, mas a alta é preocupante para um elemento essencial da cesta básica, pondera Martins.

“Às vezes há uma confusão em destacar quedas expressivas de produtos de pouca relevância. Qual a importância da pera no prato do brasileiro? Em contrapartida, o peso do feijão e do arroz têm grande peso na inflação.”

O encarecimento do arroz, no entanto, não deve ser tão dramático como o do feijão. Isso porque há variedades da leguminosa, a exemplo do carioca, que são principalmente produzidos no Brasil, dificultando a importação.

A medida (a importação do feijão) foi anunciada pelo presidente Michel Temer na semana passada para segurar os preços mas, segundo os entrevistados, não deve ser muito eficaz.

“Importar feijão? Da onde? Até tem um pouco no Paraguai, na Argentina, mas (a quantidade) é marginal. O feijão carioca que a gente gosta só nós produzimos. Além disso, o feijão não tem substituto, não dá para fazer lentilha no lugar”, diz o professor do núcleo de estudos de agronegócios da FGV Felippe Serigati.

O mesmo não acontece com o arroz, consumido e vendido por diversos países.

De acordo com Serigati, como o ciclo de produção do feijão é mais curto e não há impeditivos para que ele volte ao normal, os valores devem diminuir até o fim do ano.

Preço do milho no Brasil sobe impulsionado pelo valor no mercado internacional

Leite e milho

Se as altas da dupla arroz e feijão podem ser passageiras, há outras consideradas mais duradouras pelos especialistas.

As do milho e do leite, por exemplo, são vistas como estruturais e, portanto, mais preocupantes.

O milho é um dos principais componentes da ração das vacas leiteiras e registrou um crescimento expressivo em 2016. Ausente no IPCA-15, um de seus representantes no indicador, o fubá, encareceu 13% até junho. Já o leite subiu 18% no mesmo período e se aproxima de um patamar inédito.

Os entrevistados explicam que a alta do milho se deve à procura no mercado internacional, no qual o Brasil se tornou um vendedor importante. Nos últimos anos, o país acelerou a produção do alimento, conseguiu exportá-lo mais barato e teve grande demanda dos compradores, o que acabou elevando os valores lá fora. O aumento chegou ao mercado interno.

Preço do leite subiu 18% até junho e se aproxima de patamar inédito, dizem especialistas

Com o milho caro, a ração aumenta e os produtores de leite têm que desembolsar mais para alimentar suas vacas. A alta é repassada para o consumidor. Além disso, as chuvas fortes no começo do ano prejudicaram as pastagens e as estradas de transporte, dificultando a produção e diminuindo a oferta.

A crise também afetou o setor já que, com menos dinheiro, o brasileiro está cortando derivados. Dados do IPCA-15, a prévia da inflação, mostram que a manteiga, por exemplo, subiu 41,89% neste ano. Com demanda menor, a indústria processadora, por sua vez, compra menos dos produtores.

“Os custos altos e a receita baixa acaba desestimulando o trabalhador da área. Ouvimos relatos de pessoas que estão saindo da atividade, porque não estava mais compensando. Eles migram para a pecuária de corte, cruzam suas vacas com bois reprodutores”, diz o pesquisador do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da USP, Wagner Yanaguizawa.

Um menor número de produtores significa menos oferta de leite, o que também puxa os preços para cima.

“Esse choque não é temporário, é estrutural. Há risco de valores maiores nas próximas safras”, afirma Serigati.(fonte:bbc notícias)

Noiva envenenada no dia do casamento ganha indenização de R$ 100 mil

Em Minas Gerais, organizadora da festa tentou matar a mulher para não ter de arcar com consequências de recepção mal feita

A 11ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) condenou uma mulher de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, a indenizar uma noiva por danos morais em R$ 100 mil por tentar assassiná-la no dia de seu casamento. A decisão determinou que a mulher pague à noiva também indenização de R$ 3.143 por danos materiais, devido às falhas na organização da festa de casamento. A sentença foi divulgada na última terça-feira (28).

Segundo informações do portal do TJMG, a autora da ação contratou a empresa Linda Noiva, em novembro de 2008, para a decoração de seu casamento. Dentro da loja, foi interpelada pela acusada, que ofereceu o serviço de organização da festa de casamento a preços vantajosos. Ela recomendou à noiva que lhe pagasse diretamente com dinheiro e sem que os funcionários da loja vissem, alegando que o desconto era sigiloso.

No dia do casamento, 10 de janeiro de 2009, a acusada ofereceu à noiva uma garrafa de Gatorade, insistindo para que ela tomasse. Ao tomar um gole, ela sentiu enjoo, tontura e ânsia de desmaio. Foi aberto boletim de ocorrência e, posteriormente, foi detectado que havia no recipiente uma substância denominada carbofuram, usada como veneno para ratos. Apurou-se que a bebida foi preparada pela acusada, porque ela não tinha condições de realizar a festa do casamento.

Após saber que a noiva não apresentava sinais agudos de mal-estar, a acusada telefonou para o noivo, disse que a comida e a bebida do bufê haviam sido roubadas e pediu a ele mais R$ 600 para complementar a festa.

Ao chegarem ao salão de festas, os noivos depararam com um péssimo serviço. Havia mesas vazias, sem toalha, ornamentação, comida ou bebida. A mesa reservada para os doces e o bolo estava desorganizada, suja e vazia. Depoimentos de testemunhas comprovaram que a recepção não foi boa, pois foram servidas poucas comidas e bebidas, tendo a festa terminado em pouco tempo. Em uma ação criminal, a acusada foi condenada pelo Tribunal do Júri de Contagem pela tentativa de homicídio.

Nessa ação cível, ajuizada pela noiva contra a acusada e a loja, a juíza condenou apenas a autora da tentativa de homicídio a indenizá-la por danos morais em R$10 mil e por danos materiais em R$ 3.143. A magistrada entendeu que a empresa Linda Noiva não teve responsabilidade pelos fatos ocorridos na festa de casamento, pois foi contratada apenas para decorar a igreja e não tinha ciência da contratação para a organização da festa. Ao julgar o recurso, a desembargadora Marisa Porto, relatora, entendeu que o valor da indenização por danos morais deveria ser aumentado para R$ 100 mil.(fonte:notícias ao minuto)

Cunha deve fechar acordo e renunciar à presidência da Câmara, diz jornal

Presidente afastado da Casa deseja que aliados apoiem candidato indicado por ele

O presidente da Câmara afastado, Eduardo Cunha, sinalizou a aliados que pode renunciar ao cargo se o Planalto conseguir unir partidos como PSDB e DEM em torno de um nome indicado por ele à sucessão na Casa. A informação é do jornal Folha de S. Paulo desta quinta-feira (30).

No último domingo (26), Cunha e o presidente interino Michel Temer tiveram uma reunião extraoficial, em que o deputado teria avisado sobre a decisão. Depois da conversa, Temer ordenou que seus ministros convençam o bloco dos tucanos a não se opor a um acordo com os aliados de Cunha.

Nos últimos dias, liderenças do PSDB, DEM, PSB e PPS têm se reunido em busca de um nome comum. No entanto, ainda não há consenso sobre o nome a ser indicado, já que o candidato eleito agora ficaria no cargo apenas até o fim do ano. O “desgaste” causado pela associação a Cunha desanima os grupo dos tucanos.

Apoiadores de Cunha avaliam que ele só poderá escapar da cassação se renunciar e conseguir uma vitória na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que avalia um recurso do deputado para reverter a decisão do Conselho de Ética, que indicou a cassação de seu mandato. Cunha nega ter feito articulações de qualquer sentido.(fonte:notícias ao minuto)

Jovem desaparece após ser revistado e algemado, em Terezópolis de Goiás

Delegado diz que homens que abordaram vítima também usavam coletes
Investigador não crê que policiais estejam envolvidos, mas não descarta ideia

O jovem Luiz Augusto Dutra dos Santos, de 22 anos, desapareceu após ser abordado por dois homens, algemado e colocado em um VW Gol preto, segundo informou o delegado Daniel Nunes que investiga o caso. O fato aconteceu em Terezópolis de Goiás, no centro goiano, na noite da última quinta-feira (23), quando a vítima voltava para casa de um evento esportivo no ginásio da cidade.

Imagens de câmeras de segurança mostram o carro em que a vítima estaria após a abordagem. Nas filmagens é possível ver o veículo rondando o ginásio e, em um segundo momento, passando por ruas próximas ao local.

Nunes afirmou que testemunhas narraram em depoimento à Polícia Civil as características dos homens que abordaram a vítima. “O individuo utilizava um colete semelhante ao utilizado pela Polícia Civil, então, diante disso, a gente pode ou colocar algum policial nosso na cena do crime, ou alguém está querendo colocar algum policial [no local]”, afirmou.

Ainda assim, o delegado disse que não acredita que algum policial esteja envolvido. “Segundo os depoimentos, não havia símbolo e nenhum escrito da Polícia Civil no colete. O carro usado era um G5 e os carros da corporação são G6. Pelas características, suspeito que não seja um policial, mas não podemos descartar essa hipótese. Ainda assim, avisamos à corregedoria e à diretoria geral”, relatou.

A corregedoria da Polícia Civil informou à TV Anhanguera que também não acredita que policiais estejam envolvidos no desaparecimento do rapaz, mas não descarta essa possibilidade.

O investigador afirmou que a vítima morava em Anápolis, a 55 km de Goiânia, tinha passagens por roubo e posse ilegal de arma de fogo e namorava a filha de uma policial civil. “Essa arma que foi encontrada com ele na época [do crime de posse ilegal] era da mãe da namorada dele. Segundo familiares, ele também já havia sido ameaçado de morte uma vez por uma pessoa que ele não conhecia, por isso estava passando um tempo em Terezópolis”, disse.

O delegado pontuou que ainda não tem uma linha clara de investigação, mas apura o histórico do jovem para descobrir sobre possíveis desavenças dele.

Um parente do jovem desaparecido, que preferiu não ser identificado, relatou que se sente perdido com a ausência dele. “A cada momento que passa a dor prolonga mais porque você não tem um lugar para procurar. Mesmo a gente sabendo que cada dia que passa está mais difícil, a gente tem tentado”, contou.(fonte:g1/go)

Justiça determina o retorno das vistorias veiculares no Estado

Na decisão, a juíza alega que a decisão foi prematura e que pode causar prejuízo à população que precisaria da vistoria

Em decisão divulgada hoje pelo Tribunal de Justiça do Tocantins, a justiça determinou o retorno das vistorias veiculares. A decisão aconteceu em resposta após o Estado do Tocantins entrar com recurso em ação popular para que fosse reformada a decisão da justiça do último dia 3 deste mês.

A justiça havia suspendido as portarias do Detran Tocantins, nº 143, de 16 de março de 2015 alterada pela nº 312 de 02 de junho de 2015, no que tange à habilitação de pessoas jurídicas de direito privado para prestação dos serviços de vistoria veicular; e a suspensão da Portaria DETRAN/GAB/PRES nº 335, de 12 de junho de 2015, que elevou os valores das “tarifas” em afronta ao Código Tributário Estadual; a suspensão dos contratos de concessão nº 023/2015 e nº 022/2015, firmados com as empresas Tocantins Vistoria e Certificação Eletrônica Ltda. e Aliança Vistoria e Certificação Eletrônica Ltda.

Na decisão, entre outros pontos relatados, a juíza Célia Regina Regis alega que encontrou plausibilidade nas alegações do Estado, quando o mesmo argumentou que a incumbência dos procedimentos de vistoria às empresas credenciadas teria como objetivo aprimorar a operacionalidade do licenciamento veicular, diante da inviabilidade da prestação de serviços, pelo próprio Detran, por ausência de infraestrutura adequada, bem como, pelo altíssimo custo na aquisição de equipamentos e na contratação e treinamento de pessoal, no intuito de atender as determinações contidas na Resolução do CONTRAN nº 466/2013.

A juíza destaca na decisão que, pelo interesse público, é preciso adotar uma postura mais cautelosa no deferimento de medidas liminares, evitando-se causar prejuízos não só à população, que necessita da prestação do serviço, mas especialmente ao ente público, a quem as determinações nelas contidas são impostas.

E que não é possível que se determine ao ente público que em curto prazo assuma a prestação de um serviço cuja execução exige a aquisição de todo um aparato tecnológico, infraestrutura, além de investimento em mão-de-obra, como também seu treinamento.(fonte:jornal do tocantins)

MPE apura suposto caso de negligência médica no Hospital e Maternidade Dona Regina

A Promotora de Justiça Maria Roseli de Almeida Pery realizou vistoria no Hospital e Maternidade Dona Regina, nesta quarta-feira, 29

A Promotora de Justiça Maria Roseli de Almeida Pery realizou vistoria no Hospital e Maternidade Dona Regina, nesta quarta-feira, 29, para averiguar denúncia relativa a um suposto caso de negligência médica referente a perfuração do intestino de uma gestante. O caso teria ocorrido neste mês de junho.

Em reunião com o diretor-geral e equipe, Maria Roseli foi informada de que o hospital não apura a ocorrência de falhas nos procedimentos médicos em casos dessa natureza, deixando de avaliar se houve negligência. Apenas os casos de óbitos maternos e neonatais ocorridos no Dona Regina são automaticamente revistos internamente. O diretor-geral, inclusive, informou não ter conhecimento da referida situação de suposta negligência.

Maria Roseli informou que o marido da gestante lesionada, além de procurar o Ministério Público, registrou boletim de ocorrência na Polícia Civil, a fim de que seja apurada a ocorrência de crime de lesão corporal de natureza grave. Também registrou reclamação junto à Secretaria Estadual da Saúde (Sesau), para que instaure sindicância administrativa; e junto ao Conselho Regional de Medicina (CRM), para que apure se houve falha ética.

Após consultar o prontuário da paciente, uma das coordenadoras do Dona Regina alegou que a paciente não sofreu perfuração no intestino. O que teria ocorrido seria a formação de cicatrizes internas em seu intestino depois dela haver se submetido a cirurgia cesariana. Com isso, a paciente teria se submetido a um segundo procedimento cirúrgico, ao que se seguiu um quadro de necrose da sua parede abdominal. Atualmente, a paciente encontra-se internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Geral de Palmas (HGP).

Segundo foi informado, a necrose abdominal pode ser resultado de infecção hospitalar.

Segundo caso
Durante a vistoria, a Promotora de Justiça ficou sabendo de um segundo caso de suposta perfuração de intestino de gestante submetida a cesariana no Hospital e Maternidade Dona Regina. Este caso teria ocorrido há 58 dias. Após a cesariana, a paciente teve alta hospitalar em 48 horas. Mas foi reinternada 15 dias depois, com quadro infeccioso, tendo sido tratada com antibióticos e, em seguida, recebido alta. Dias depois, retornou em estado grave, tendo se submetido a uma segunda cirurgia.

O caso, segundo avaliação da própria equipe do Hospital e Maternidade Dona Regina, pode resultar de negligência médica, tanto quanto pode ser consequência do próprio procedimento cirúrgico. O diretor-geral informou não ter conhecimento também desse caso.

Lotação
Nesta vistoria ao Hospital e Maternidade Dona Regina, a Promotora de Justiça Maria Roseli encontrou um cenário bem diferente do observado durante inspeção realizada nos dias 13 e 14 deste mês, quando diversas pacientes aguardavam atendimento nos corredores. Agora, não havia superlotação. Pelo contrário, diversos leitos estavam vagos. Maria Roseli atribuiu a mudança às diversas reuniões que vêm sendo realizadas com a equipe, intermediadas por ela, visando aperfeiçoar as rotinas de trabalho da unidade hospitalar.(fonte:portal stylo)

PC prende dois suspeitos por furto e receptação em Gurupi

Na tarde desta quarta-feira (29), agentes da 3ª Delegacia de Polícia Civil em Gurupi, prenderam Eduardo Pinto Cerqueira, de 21 anos e Nelmarque Teixeira Neves, de 21 anos, suspeitos por furto e receptação

Recepção-2-300x169Segundo informações da Polícia Civil, as investigações apontam que Eduardo cometeu um furto pela manhã em uma casa no Setor Alvorada 1, onde ele teria arrombado a residência e levado alguns objetos.  Após buscas, os policiais encontraram com ele um televisor que foi subtraído na casa que foi alvo da ação criminosa e efetuaram sua prisão.

Em seguida, a equipe da 3ª DP foi até a residência de Nelmarque, no Setor Alvorada 2. Com ele os policiais encontraram um notebook que também teria sido furtado por Eduardo. O objeto estava enterrado no quintal e Nelmarque acabou preso.

A Polícia Civil informou ainda que Eduardo estava sendo investigado por uma série de furtos e roubos em setores da área da 3ª DP e estava em liberdade condicional. Os dois foram levados para a Central de Flagrantes de Gurupi. Eduardo foi autuado por furto e Nelmarque por receptação.(fonte:atitude tocantins)

Polícia Federal faz operação para prender Carlinhos Cachoeira, em GO

Policiais cumprem mandado na casa do empresário, em condomínio de luxo
Também há mandados de prisão contra Fernando Cavendish e Adir Assad

A Polícia Federal e o Ministério Público Federal realizam na manhã desta quinta-feira (30) uma operação para prender o empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. A corporação está no condomínio de luxo em que ele mora, em Goiânia. Denominada Operação Saqueador, a ação visa prender 23 pessoas envolvidas em uma esquema de lavagem de dinheiro envolvendo verbas públicas federais.

O Ministério Público Federal também ofereceu denúncia contra Adir Assad e Fernando Cavendish, que é ex-presidente da empreiteira Delta Construções S/A.

Acusado de chefiar um esquema de exploração ilegal de caça-níqueis em Goiás, Cachoeira já havia sido preso em fevereiro de 2012, quando a Operação Monte Carlo foi deflagrada pela PF e o Ministério Público Federal. Ele ganhou liberdade em 11 de dezembro do mesmo ano.

Desde então, Cachoeira já foi condenado por diversos crimes. A última condenação foi no dia 23 de setembro, pelo crime de violação de sigilo funcional, com pena de três anos de prisão.(fonte:g1/go)

Condimínio Alphaville Cruzeiro do Sul, em Goiânia, Goiás (Foto: Honório Jacometto/TV Anhanguera)
PF cumpre mandado em condomínio de luxo em Goiânia (Foto: Honório Jacometto/TV Anhanguera)

Parquinhos escondem perigos para crianças

Estruturas instaladas nas praças da Capital necessitam de manutenção; lixo também é uma das reclamações dos pais

Os parquinhos instalados nas praças da Capital são uma das primeiras opções para crianças durante as férias, mas a estrutura dos brinquedos apresentam riscos. Boa parte da estrutura, que conta com ferro, madeira e plástico, está comprometida por causa da ação do tempo e também pelo mau uso.

Em novembro de 2013, Natanael Borges dos Santos, na época com três anos, perdeu os dedos indicador e médio enquanto brincava nos brinquedos da praça do Ginásio Ayrton Senna, em Taquaralto.

Durante giro nas praças da capital, foi possível conferir brinquedos quebrados, enferrujados, com madeiras soltas, peças da estrutura à mostra além da falta de limpeza e outras situações, que podem resultar em novas vítimas como o menino Natanael.

Morador de Palmas há apenas dois meses, o engenheiro agrícola Rafael Alves da Silva, 27 anos, veio de Brasília e, à primeira vista, gostou da estrutura dos brinquedos instalados na Praia da Graciosa, mas logo percebeu alguns problemas. “Até gostei, mas senti falta de proteção, especialmente na lateral dos escorregas”, apontou, ao acompanhar seu filho de um ano e quatro meses.

Outros problemas foram identificados por Silva ao explorar o espaço: “falta areia, parte do concreto está exposta, as correntes do que antes era um balanço estão soltas, além do cheiro forte que sai do contêiner de lixo bem próximo à praça, é algo que afugenta os pais”, pontuou.

A comerciante Samira Regina dos Santos, 32 anos, que trabalha na Praia da Graciosa com brinquedos infláveis próximos ao parquinho, acompanha de perto a frustração dos pais ao se deparar com a estrutura precária, a falta de proteção e, principalmente, o cheiro forte do contêiner de lixo. “Eles vão embora decepcionados”, comentou.

Samira, que reside na Quadra 607 Norte, sente falta de uma praça estruturada com parque para crianças na quadra dela ou nas proximidades. “Não sei qual é o critério de construção desses parquinhos, mas eu gostaria de saber, porque nós ainda não possuímos uma. Pagamos nossos impostos como os demais”, reclamou.

Sem manutenção

Na 303 Norte, a demanda de crianças excede a oferta de brinquedos. A dona de casa Eliane Carvalho, 38 anos, mãe de dois, informa que antigamente, a ‘caixinha de areia’ era grande e contava com mais opções de entretenimento para as crianças. “O parquinho era maior e atendia melhor as necessidades dos moradores, mas como ele estava com alguns problemas, a prefeitura trocou a estrutura, mas em número reduzido”, comentou. Ela reclama que desde que foram instalados os brinquedos nunca passaram por manutenção.

O instrutor esportivo e fundador da Associação Escolinha de Voleibol e Futsal de Palmas (Assevopa), Ivancley Araújo dos Santos, utiliza a quadra poliesportiva da praça para executar as atividades, mesmo enfrentando dificuldades. “Infelizmente, a manutenção das praças está um descaso por parte do poder público. A pintura e iluminação estão comprometidas, a grade de proteção está rasgada e eu preciso me virar aqui, aos trancos e barrancos”, lamentou.

ENTENDA

A última vez que as praças passaram por vistoria foi em novembro de 2015. É possível conferir brinquedos quebrados, enferrujados, com madeiras soltas, peças à mostra e falta de limpeza.(fonte:jornal do tocantins)

Tiros contra casal podem ter elo com briga de torcidas em GO, diz delegado

Investigador afirma que vítimas foram seguidas ao saírem de estádio
Jovens foram baleados dentro do carro enquanto paravam em semáforo

A tentativa de homicídio contra casal baleado dentro do carro pode ter relação com briga entre torcidas, conforme informou o delegado responsável pelo caso, Izaías Pinheiro. O titular do 1º Distrito Policial de Goiânia afirmou que as vítimas saíram de um jogo do Goiás Esporte Clube contra o Paysandú, do Pará, e foram seguidas.

“A nossa principal suspeita é que tenha relação com briga de torcidas. Eles [casal] saíram com uniformes do Goiás do Serra Dourada e foram perseguidos por duas pessoas em uma moto. Enquanto o casal diminuía a velocidade para parar em um sinal, quem estava na moto passou por eles dando três tiros e fugiu”, relatou o delegado ao G1.

O crime aconteceu na noite de terça-feira (28). O jovem, de 23 anos, e a mulher de 30 anos, foram socorridos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgências (Samu) e levado para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo). Ainda conforme o delegado, a mulher levou um tiro no braço enquanto o rapaz foi baleado duas vezes no pescoço e uma na boca.

A unidade de saúde informou ao G1 por meio de nota que a mulher que estava no carro fez apenas um curativo e foi liberada. Já o rapaz que foi baleado tem estado de saúde “estável, regular, consciente”. O texto relata ainda que ele “respira sem o auxílio de aparelhos e está na Emergência do Hugo sob observação”.

Pinheiro afirmou que a mulher que estava no carro já prestou depoimento à Polícia Civil, mas a outra vítima, que ainda está hospitalizada, e amigos do casal que estavam no jogo com eles ainda serão ouvidos.

“Ela não viu nada, sequer percebeu a moto se aproximando, só ouviu os tiros. Os autores não deram voz de assalto, só passaram e dispararam. Eles [casal] não têm envolvimento nenhum com drogas ou desavenças”, relatou.

O delegado disse ainda que vai buscar imagens de câmeras de segurança do Estádio Serra Dourada, onde eles estavam antes do incidente, para procurar por possíveis suspeitos.(fonte:g1/go)